Prefeito veta emendas ao projeto de implantação do Estar

10 de julho de 2015

Emendas feitas pelo Legislativo inviabilizam o serviço ou são inconstitucionais, diz Ledur

 

DSC_0113Ledur entende que o modelo como foi apresentado está de acordo com exemplos bem sucedidos colhidos em outras cidades (foto: jornal ACONTECEU)

 

Após um período de discussão na Câmara Municipal, o projeto de lei que institui o sistema de estacionamento rotativo regulamentado em São Mateus do Sul — o Estar — voltou para o Executivo com algumas emendas, propostas pelos vereadores. As mudanças, contudo, foram vetadas integralmente pelo prefeito, Clóvis Ledur.

As modificações propostas pelos vereadores indicavam a abertura de um intervalo sem cobrança do Estar no horário de almoço, minutos de tolerância antes do início da cobrança e isenção para idosos, deficientes e gestantes. Mas o prefeito foi enfaticamente contra. “Essas emendas inviabilizam o serviço ou são inconstitucionais. Eu vetei integralmente, pois o projeto da maneira como foi apresentado havia sido acordado com os vereadores”, diz.  Ledur ainda sugeriu que as contrariedades vêm para desestruturar e inviabilizar o projeto. “Não há ganho político nisso. Baseamos a proposta em experiências de outros municípios que deram certo”, completa.

A Câmara deve contestar o veto, exigindo nova negociação entre Executivo e Legislativo. Ainda assim, o município espera poder implementar o serviço ainda em 2015. O Estar em São Mateus do Sul deve abranger 800 vagas, nas ruas Tenente Max Wolff Filho, Ozy Mendonça de Lima e Barão do Rio Branco, da Paulino Vaz da Silva até a João Bettega. O valor por vaga, para carros, será de R$ 0,50 para cada intervalo de 30 minutos e de R$ 1 para cada intervalo de uma hora.

 

mapa estarRuas delineadas representam o alcance do Estar previso em São Mateus do Sul, tendo a av. Ozy Mendonça de Lima como central (Imagem: Google Maps)

Comentários