Mudanças no trânsito são-mateuense estão a caminho

27 de março de 2015

Proposta de implantação do Estar já foi apresentada à Câmara; visando melhorar o fluxo, ainda são estudadas alterações no sistema viário

 Fotos: jornal ACONTECEU

824transitocapa

Após um longo e burocrático processo que começou praticamente junto com a criação da Secretaria Municipal de Segurança Pública e Trânsito, em 2013, São Mateus do Sul enfim conseguiu concluir o projeto de municipalização do trânsito, que basicamente dá autonomia para que o município cuide do próprio trânsito. Com a municipalização, a Secretaria pode efetivar as modificações do trânsito local, a fim de melhorar o fluxo e harmonizar a estrutura urbana com as necessidades atuais de trafegabilidade, que surgem com o crescimento da cidade e da frota local, hoje com 22,5 mil veículos.

A primeira medida, já encaminhada à Câmara Municipal para apreciação dos vereadores, é a implantação do sistema de estacionamento rotativo regulamentado, o Estar. A proposta divide opiniões, mas já é realidade em muitos municípios do porte de São Mateus, e, segundo a Secretaria de Trânsito, visa favorecer as atividades do comércio e o acesso a bens e serviços oferecidos nas ruas de trânsito mais inflamado. “Haverá uma mudança de hábito da população, uma questão de adaptação dos usuários. Mas a proposta foi bastante discutida com a comunidade e comerciantes, que concordam ”, revela o secretário Benedito Facini.

Após ser aprovado na Câmara — que ainda analisa a proposta e deve inserir alguns adendos —, o processo parte para a abertura de edital de licitação, que vai definir a empresa que operará o sistema, sendo responsável por ela a colocação dos monitores de trânsito nas ruas e as obras de sinalização e segurança necessárias. A Secretaria de Trânsito adianta que o Estar deve abranger cerca de 800 vagas no centro, com foco na avenida Ozy Mendonça de Lima, rua Barão do Rio Branco e rua Tenente Max Wolff Filho, além das paralelas e transversais. O tempo máximo de permanência na vaga está previsto para duas horas, com custo estimado de R$ 0,80 para meia hora e R$ 1,50 para uma hora, no horário de funcionamento das 8h30 às 18h, de segunda a sexta, e das 8h30 às 13h nos sábados, com possível isenção nos feriados.

Facini ressalta que é importante que o projeto receba todos os ajustes necessários, para que a pressa não seja prejudicial, e atenda todas as necessidades. “A implantação do Estar atinge, sem dúvida, o objetivo, que melhorar o fluxo e a rotatividade, eliminando a grande permanência nas vagas que prejudica a mobilidade e o acesso aos serviços e comércios da cidade. É a ação adequada para o momento que o município vive”. Ainda segundo ele, toda receita arrecadada será, obrigatoriamente, revertida no próprio trânsito.

A Secretaria não deu expectativa de prazo para o início do serviço.

Sistema viário

Além do Estar, a municipalização do trânsito deve gerar outras medidas, que vão trazer mudanças ao sistema viário. Apesar de ainda estar em fase de reuniões internas e planejamento, a Secretaria de Segurança e Trânsito confirma que haverá alterações no sentido de algumas ruas e modificação de traçados, para agilizar o tráfego. A retirada dos canteiros centrais da avenida Ozy Mendonça de Lima, que já foi questionada, não está nos planos, por esta ser naturalmente uma rua com característica de tráfego lento para comércio.

824transito

Comentários