Leilão da BR 476 deve ocorrer ainda em 2015

19 de junho de 2015

Rodovia faz parte da nova etapa de concessões do Programa de Investimento e Logística (PIL), lançado oficialmente na semana passada

 DSC_0684Rodovia do Xisto deve ser uma das primeiras a ser leiloada, permitindo obras de duplicação (foto: jornal ACONTECEU)

 

O governo federal lançou, em cerimônia realizada no Palácio do Planalto no dia 9 de junho, a nova etapa de concessões do Programa de Investimento e Logística (PIL), que prevê investimentos de R$ 66,1 bilhões em rodovias e R$ 86,4 bilhões em ferrovias. Conforme já anunciado no ano passado, entre as rodovias que compõem o pacote está a BR 476. A novidade é que o trecho que inclui a Rodovia do Xisto está entre os primeiros a serem leiloados, ainda este ano.

Segundo informações do Ministério dos Transportes, a nova etapa de concessões rodoviárias será dividida em três eixos: realização de cinco leilões neste ano, 11 novos projetos e investimentos em concessões já existentes. Está prevista a realização, agora em 2015, de quatro leilões de projetos iniciados no ano passado: BR 476/153/282/480/PR/SC; BR 163/MT/PA; BR 364/060/MT/GO e BR 364/GO/MG.

Os quatro leilões previstos para 2015, somados à renovação da concessão da Rio-Niterói, totalizam R$ 19,6 bilhões em investimentos. Dando continuidade ao programa lançado em agosto de 2012, as concessões de rodovias ao setor privado seguirão o modelo de leilão pela menor tarifa.

O trecho da Rodovia do Xisto contemplado para receber melhorias, principalmente de duplicação, começa na cidade da Lapa, passando por São Mateus do Sul até União da Vitória, e deve incluir o projeto de contorno que objetiva retirar o tráfego pesado da área urbana de São Mateus. O projeto ainda inclui a BR 153, BR 282 e BR 480, seguindo por Santa Catarina até Chapecó e a divisa com o Rio Grande do Sul, numa extensão total de 460 quilômetros e investimento estimado em R$ 4,5 bilhões. Para o governo, o projeto é voltado para beneficiar o escoamento da produção de grãos, aves e suínos pelos portos do Arco Sul.

Consultado pela reportagem, o prefeito de São Mateus do Sul, Clóvis Ledur, disse que o governo local, junto dos prefeitos de União da Vitória, Pedro Ivo, e da Lapa, Leila Klenk, está ciente da necessidade de duplicação da BR 476, e que os municípios seguiram insistentes para que a rodovia não fosse esquecida. “A duplicação vai injetar em nosso municipio um valor financeiro muito alto, em geração de emprego e aluguel de máquinas durante a duplicação, e depois, é claro, vai movimentar ainda mais a economia local, com a melhoria do tráfego entre as cidades da nossa região”, argumenta.

Questionado sobre a articulação do município para que São Mateus do Sul seja contemplada com a praça de pedágio, o prefeito disse que houve pedido, mas que depende de outros fatores. “A praça do pedágio é uma decisão técnica do Departamento Nacional de Infraestrutura de Transportes (Dnit). Nós fizemos uma visita pra requerermos a praça em São Mateus e, com isso, conseguirmos o benefício do ISS em nosso município, mas, como disse, é uma decisão técnica que cabe ao Dnit e que deve ser anunciada em breve também”.

Untitled-2

 

Dados: Ministério dos Transportes

Comentários