Acusada como mandante da morte do marido é condenada em júri popular

06 de março de 2015

Maria Madalena Karpinski vai cumprir pena de 9 anos por homicídio qualificado e privilegiado

O júri popular decidiu pela condenação da ré Maria Madalena Karpinski, de 54 anos, acusada de ser a mandante do homicídio do próprio marido, Antonio Ferreira de Souza, 52 anos, em dezembro de 2013. A decisão ocorreu na quinta-feira, 26 de fevereiro, em audiência que durou quase dez horas.

Maria Madalena foi detida preventivamente em janeiro de 2014, após investigação da Polícia Civil ligá-la a Roberto Pageski Faria, vulgo “Dragão”, que seria o executor do crime. A ré foi condenada por homicídio qualificado e privilegiado, e vai cumprir pena determinada em 9 anos e 4 meses de reclusão.

O caso

O corpo de Antonio Ferreira de Souza foi encontrado em uma plantação na localidade de Rio das Pedras no dia 24 de dezembro de 2013, alvejado com dois tiros. O confronto balístico feito pela polícia deu conta de que o executor do crime foi Roberto Pageski Faria, o “Dragão”, cuja arma havia sido escondida em sua casa, e que foi morto em 6 de janeiro ao trocar tiros com a polícia durante uma tentativa de sequestro e fuga. Na sequência da investigação, Maria Madalena foi detida e confessou ter sido a mandante da execução. Na ocasião da prisão, a acusada afirmou que era vítima constante da agressividade do marido, que a violentava e tinha outras mulheres.

Foto: Arquivo/Polícia Civil

maria madalena

Comentários