Comandante da 3ª CIA da PM fala na Câmara

10 de junho de 2016

1º tenente Crevelin esclareceu dúvidas dos vereadores, principalmente em relação ao serviço reservado e à estrutura da Companhia

 

DSC_0088Foto: jornal ACONTECEU

 

O 1º tenente Ederson Crevelin, comandante da 3ª Companhia da Polícia Militar de São Mateus do Sul, participou da última sessão da Câmara Municipal, na segunda-feira (6), levando informações sobre os trabalhos recentes e esclarecendo dúvidas levantadas pelos vereadores.

Entre os assuntos tratados na noite, esteve em destaque a situação do serviço reservado da PM, o chamado P2. A Câmara havia enviado ofício à CIA questionando o assunto. Segundo o comandante, o P2 está em processo de reestruturação e organização em União da Vitória. O serviço será reorganizado com a chegada de novos soldados a serem incorporados após a formatura no final do ano. Crevelin ainda falou sobre a redução no quadro de policiais, que exigiu concentrar os soldados no policiamento ostensivo. Questionado sobre as viaturas, o comandante confirmou que parte da frota está parada e União da Vitória tem dado suporte com empréstimo de viaturas. O sistema tem morosidade e acaba levando pelo menos 15 dias para consertar uma viatura. “Fazemos, na medida do possível, a manutenção e pedidos de trocas de peças antecipados para evitar que fiquem paradas, tentando agilizar”. Ele ainda adiantou que, com a chegada de novos policiais até o fim do ano, o espaço físico da CIA também deverá ser reestruturado.

 

Proposições

 

Entre as votações da sessão, entraram três projetos de lei do Executivo solicitando crédito especial, requerimentos sobre dados de arbitragem à Secretaria de Esportes e relação e imóveis da Prefeitura, além de pedido à Polícia Rodoviária sobre número de acidentes. Também houve voto de pesar pelo falecimento de Isolete Nanci da Silva Kuczera.

Na mesma noite, ainda houve a presença de representantes do Instituto de Previdência de São Mateus do Sul (Ipresmat), falando sobre a nova direção e conselho fiscal, balanço fiscal, trabalhos já realizados e projetos para serem colocadas em prática, a partir da aprovação da modificação da lei sobre os funcionalismo público: criação de fundo de reserva, criação de comissão de avaliação de bens e imóveis, aquisição de imóvel para sede própria, contratação de médico perito e migração do pagamento dos servidores para o Instituto.

Comentários