Projeto de construção de novo hospital caminha angariando parcerias

27 de março de 2015

Secretaria de Estado da Saúde garantiu leitos de UTI para nova estrutura; além dela, Prefeitura e Hospital Doutor Paulo Fortes buscam apoio dos associados e da Câmara Municipal

Fotos: Assessoria PMSMS/Arquivo jornal ACONTECEU

824leitos-uti

Durante reunião realizada no dia 18 de março em Curitiba, o secretário estadual de Saúde, Michele Caputo Neto, reafirmou o compromisso do Estado em relação a equipar os prometidos dez leitos de Unidade de Terapia Intensiva (UTI) do novo hospital de São Mateus do Sul. O encontro reuniu autoridades municipais, como o prefeito Clóvis Ledur, a secretária de Saúde Fernanda Sardanha, o presidente da Câmara Enéas Melnisk e representantes do Hospital e Maternidade Doutor Paulo Fortes, que buscaram assegurar o apoio para dar continuidade ao planejamento.

A ideia do novo hospital foi anunciada há cerca de um ano — projeto que visa ampliar a atenção à saúde pública, garantindo atendimentos de maior complexidade no próprio município, uma vez que muitos pacientes que precisam de cuidados mais específicos precisam se deslocar para outras cidades. Entre os planos do município está a aquisição, por parte da Prefeitura, das atuais instalações do Hospital Doutor Paulo Fortes, parceiro da iniciativa. O pagamento, feito a partir de entrada, parcelas e cessão de terrenos do município, viabilizaria a construção da nova estrutura, mais adequada, e ainda concentraria órgãos municipais num novo espaço, eliminando despesas de aluguéis.

Neste último encontro com Caputo Neto, o secretário ainda assegurou o repasse de verbas para manutenção dos leitos de UTI durante seis meses, até que o município consiga credenciar devidamente o hospital junto ao Ministério da Saúde. Segundo ele, sempre que possível, a Secretaria tem dado condições para que os municípios possam desafogar o atendimento dos grandes centros. Disse ainda que o projeto do município é inteligente. “Hoje, a Prefeitura já gasta para garantir tratamentos de maior complexidade para seus cidadãos em outras cidades. Então, o projeto de compra é inteligente porque esse custo vai ficar no município, não vai criar uma despesa nova. A Prefeitura vai qualificar a despesa e investir diretamente no município”, conclui.

Soma de esforços

Como inquestionável interesse comum para todos os são-mateuenses, vários setores da sociedade já vêm manifestando apoio ou efetivamente agindo em prol desse projeto do novo hospital, que é a iniciativa mais significativa em relação ao assunto que surgiu até agora. Além da parceria entre Prefeitura e Hospital Doutor Paulo Fortes, a proposta estima ainda o apoio da comunidade, do empresariado e do Legislativo. Na próxima segunda-feira (30), durante sessão da Câmara, o prefeito Clóvis Ledur vai lançar aos vereadores a proposta de torná-los parceiros do projeto, a partir de iniciativa já abordada no Legislativo, de retornar para a Prefeitura o caixa que a Câmara vem reunindo para levantar sua nova sede — cerca de R$ 1,5 milhão. “O apoio ajudaria na entrada que pretendemos dar para a compra da atual instalação do hospital. A Câmara assim tem a oportunidade de participar ativamente da realização desse grande sonho”, diz Ledur.

O valor estimado para a aquisição é de R$ 6 milhões. Além da entrada e de parcelas subsequentes, deve entrar no negócio a retomada do terreno do Lar São Mateus, que pertence originalmente ao hospital, e cessão de outra área, na vila Prohmann, para que a entidade educacional ganhe nova e mais adequada sede.

Hospital busca novos associados

Em paralelo ao planejamento para a nova estrutura, o Hospital e Maternidade Doutor Paulo Fortes está promovendo uma campanha para ampliar o número de associados contribuintes da entidade, cuja colaboração permite fazer frente às necessidades básicas de manutenção do hospital. Segundo o presidente do Hospital, Michel Ulbrich, a campanha “Seja um Anjo” busca sensibilizar a comunidade, permitindo-a participar das decisões da entidade, inclusive no que diz respeito ao novo hospital. “A ideia é aproximar o hospital da comunidade, já dando atenção para esse objetivo maior”, frisa.

A colaboração do sócio contribuinte é válida a partir de 5% do salário mínimo, e permite a ele ter direito a voto nas decisões da instituição e ainda alguns benefícios, como descontos em consultas médicas, exames radiológicos e hospitalares e internação.

Segundo a direção, a entidade possui hoje cerca de 200 associados. “Se alcançarmos mil sócios, seria possível inclusive pagar um profissional 24 horas para atender no hospital, com atendimento gratuito para os associados”, destaca Michel.

Interessados podem procurar a secretaria do Hospital.

Informações e Adesões: (42) 3532 3777

DSC_1099

Comentários