Combate ao mosquito Aedes aegypti se intensifica

05 de fevereiro de 2016

Com o aumento das doenças transmitidas pelo mosquito, Ministério da Saúde determina mais vistorias e ações de prevenção; desafio em São Mateus é fazer com que a população entenda o risco

 

DSC_0337Fotos: jornal ACONTECEU

 

O Ministério da Saúde declarou guerra contra o mosquito Aedes aegypti, depois do aumento de casos de pessoas infectadas pela dengue, zika e chikungunya, e principalmente após constatar a relação do vírus zika com casos de microcefalia em bebês, e anunciou a adoção de medidas mais intensas para combater o mosquito. As vistorias realizadas pelas equipes de endemias nos imóveis, até então realizadas por amostragem, agora precisarão abranger 100% das propriedades, e isso até o final de fevereiro. Meta audaciosa a ser cumprida pelos municípios, que precisam enfrentar o desafio com estrutura limitada e resistência de parte da população em compreender a gravidade do problema.

Segundo o setor de Vigilância Sanitária, em São Mateus do Sul já ocorre um plano de ação que passa nas residências do perímetro urbano, atingindo um determinado número de residências, procurando qualquer foco ou possibilidade de focos de criadouros do mosquito. Mas com a nova meta imposta pelo Ministério da Saúde, o município está reunindo, além dos agentes de endemias, os 22 agentes comunitários de saúde e possivelmente deve convocar também os estagiários da saúde para as ações deste mês, além de voluntários que possam colaborar. No entanto, é um verdadeiro desafio conseguir abranger os cerca de 12 mil imóveis em pouco tempo.

Na sexta-feira (29), a Secretaria de Saúde promoveu uma reunião com a comunidade e representantes de diversas entidades, como a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL), Associação Comercial, Industrial e Agropecuária (ACIASMS), secretarias municipais, associações de moradores, imprensa e Ministério Público, para, juntos, formarem um grupo permanente de ações, enquanto houver riscos. “São Mateus do Sul ainda não apresentou nenhum caso confirmado de doenças ligadas ao Aedes aegypti, mas acredita-se ser apenas uma questão de tempo se as ações não forem implementadas, pois em cidades vizinhas, como União da Vitória e Irati, já existem focos da doença”, alerta a coordenadora da equipe de combate à dengue da Vigilância Sanitária, Simone Huk Arazewski.

Todas as cidades deverão enviar semanalmente um relatório para o Ministério da Saúde reportando o andamento das ações. A sala de situação foi instalada junto ao Centro de Saúde e vai implantar as determinações nacionais e promover ações locais. O primeiro encontro aconteceu nesta terça-feira (2), para organizar uma grande mobilização que acontecerá no sábado (6).

 

Conscientização

Um dos desafios que geram preocupação é a constante formação dos entulhos pela cidade, que muito favorecem o acúmulo de água parada e são hábito de muitos moradores. Agentes também se queixam da resistência de alguns moradores e/ou empresas em permitir a vistoria ou tomar providências diante de situações de risco. Mudanças de postura se tornam difíceis uma vez que os agentes não têm poder de penalizar essas pessoas.

Alguns municípios possuem leis específicas que permitem notificar e multar quem joga lixo indiscriminadamente ou mantém situações de risco para possíveis criadouros, e foi sugerido que tal medida também seja implementada em São Mateus. “A população, infelizmente, não tem correspondido de forma adequada para a erradicação dos criadouros de mosquito, e principalmente a zika está se tornando um problema a nível mundial”, comentou Mariana Silvestre, durante a reunião. “Esta ação não é da Prefeitura Municipal, mas de toda a sociedade, pois caso ocorra uma epidemia, tanto de dengue, chikungunya ou zika, nenhum município da região tem estrutura para atender os casos”.

Mutirões para recolhimento desses entulhos devem ser promovidos, e a Prefeitura também deverá desobstruir bueiros e valas que possam conter água parada.

 

Hora H

Neste sábado (6), acontece uma grande mobilização em todo o Paraná para convocar a população para participar do combate contra o mosquito Aedes aegypti. O objetivo é que os moradores vistoriem as residências e eliminem todo recipiente que possa acumular água e se tornar um criadouro do mosquito. A ação vai ser feita simultaneamente em todas as cidades às 10h. Equipes da Secretaria de Saúde de São Mateus do Sul estarão dispostas na praça ao lado das Lojas Pernambucanas fazendo panfletagem. Os folhetos contêm um “check-list” da dengue, orientando a inspeção dentro da casa e no quintal e apresentando os principais locais que devem ser vistoriados pelo cidadão. Voluntários também devem levar a mensagem para alguns bairros.

 

 

 

Comentários