Chega vez das meninas de 9 a 11 anos se vacinarem contra o HPV

13 de março de 2015

Vacina usada na prevenção do câncer do colo de útero começou a ser oferecida na cidade na terça-feira (10)

Foto: Divulgação

Fotolia_60227496_Subscription_Monthly_M

Teve início esta semana a nova etapa de imunização contra o Papiloma Vírus Humano (HPV), desta vez abrangendo meninas da faixa etária dos 9 aos 11 anos. Para o Ministério da Saúde, junto com o grupo de adolescentes de 11 a 13 anos vacinadas no ano passado, essa pode ser a primeira geração praticamente livre do risco de morrer do câncer do colo do útero. A meta é vacinar, em parceria com as secretarias estaduais e municipais da saúde, 80% do público-alvo.

Em todo o Brasil, a vacina é oferecida gratuitamente pelo Sistema Único de Saúde (SUS). Em São Mateus do Sul a campanha começou na terça-feira (10), dispondo das vacinas no Centro de Saúde e também em alguns postos. A campanha também deve chegar às escolas, conforme recomendação do Ministério da Saúde. “Com a introdução da vacina, podemos reduzir drasticamente os casos de câncer do colo do útero e a taxa de mortalidade. Com isso, poderemos ter a primeira geração de mulheres livre da doença. Para isso é importante que as meninas completem o esquema vacinal, tomando as três doses da vacina, conforme o calendário”, alerta o ministro Arthur Chioro.

Para receber a dose, basta apresentar o cartão de vacinação e o documento de identificação. Como enfatizado por Chioro, cada adolescente deverá tomar três doses para completar a proteção. A segunda deve ser tomada seis meses depois, e a terceira, cinco anos após a primeira dose. A partir de 2016, serão vacinadas as meninas de 9 anos.

As meninas de 11 a 13 anos que só tomaram a primeira dose no ano passado também podem aproveitar a oportunidade de se prevenir e procurar um posto de saúde para dar prosseguimento ao esquema vacinal. Isso também vale para as meninas que tomaram a primeira dose aos 13 anos e já completaram 14.

O HPV

O HPV é um vírus transmitido pelo contato direto com pele ou mucosas infectadas por meio de relação sexual. Também pode ser transmitido da mãe para filho no momento do parto. Estimativas da Organização Mundial da Saúde indicam que 290 milhões de mulheres no mundo são portadoras da doença, sendo 32% infectadas pelos tipos 16 e 18.  Em relação ao câncer do colo do útero, estudos apontam que 270 mil mulheres, no mundo, morrem devido à doença. Neste ano, o Instituto Nacional do Câncer estima o surgimento de 15 mil novos casos.

Comentários