Vereadores divergem quanto a novos pedidos de crédito especial para dívidas de 2015

08 de abril de 2016

Mais dois projetos de lei do gênero do Executivo foram votados esta semana, e acabaram aprovados

 

DSC_0056Foto: jornal ACONTECEU

 

A utilização de recursos do orçamento municipal de 2016 para pagamento de dívidas remanescentes de 2015 voltou a dividir opiniões na Câmara Municipal de São Mateus do Sul. Na sessão desta semana, na segunda-feira (4), mais dois projetos de lei do gênero enviados pelo Executivo foram discutidos, e a decisão quanto à aprovação acabou ficando para o presidente da Câmara.

O projeto 019/2016 pede crédito especial de R$ 294.493,57 para pagamentos de dívidas da saúde em 2015. Já o projeto 020/2016 prevê crédito especial de R$ 598.643,32 para pagamentos de dívidas diversas de 2015. Os vereadores Antonio Wilson Waligurski (Bira), Luiz Cesar Pabis, Miguel Paulo Ferreira e Omar Picheth aprovaram as proposições. Já Geraldo de Paula e Silva, Manoel Ferreto, Márcio de Lima Barbosa (Cabo Lima) e Mário Stuski votaram contra. Com o empate, o presidente Enéas Melnisk precisou votar e decidiu pela aprovação de ambos os projetos.

Sobre a situação, Cabo Lima criticou. “Estamos sendo coniventes com um erro da Prefeitura. Se a Câmara fosse mais firme a situação não estaria assim”. Bira e Paulo Ferreira argumentaram que as dívidas precisam ser pagas. “A Prefeitura tem que pagar o que deve, ou os credores podem entrar na Justiça”, disse Paulo. “Temos que levar em conta que não é uma situação apenas de São Mateus do Sul, é uma crise nacional que levou a essa situação. Temos que pagar o quanto antes”, completou Bira. O presidente da Casa disse que consultou a questão jurídica da situação, e a abertura de crédito especial é a maneira correta de fazer os pagamentos. Conforme apurado por ele, dos cerca de R$ 7 milhões de dívidas que ficaram do ano passado, cerca de R$ 5 milhões já foram pagos e os R$ 2 milhões restantes devem ser pagos nos próximos dois meses.

 

Mais da sessão

A Câmara também apresentou indicações solicitando manutenção de estradas e indicações para apresentação do Plano Municipal de Saneamento Básico, relatório de defasagem do número de professores nas instituições municipais e prestações de contas da Prefeitura. A diretora do Colégio Estadual do Campo Eugênio de Almeida, Marta Regina Centa, recebeu moção de aplausos pelos trabalhos desenvolvidos em Fluviópolis e pela realização da palestra com a deputada Cristiane Yared sobre trânsito.

Na tribuna, a reportagem sobre o aumento dos casos de violência doméstica publicada pelo jornal ACONTECEU na semana passada foi comentada, despertando preocupação. A enfermeira Rosângela Mendes Paul teve oportunidade de discorrer sobre a situação dos profissionais de enfermagem que trabalham acima das 30 horas semanais determinadas, o que tem gerado situações de estresse e doenças, maior número de afastamentos e licenças pelo excesso de trabalho.

 

 

Comentários

Leia também:

dsc_0296

As últimas impressões de Ledur

23 de dezembro de 2016