Vereadores aprovam contas municipais de 2012

14 de agosto de 2015

Votação secreta teve apenas um voto contrário

 

DSC_0639Projeto principal da noite acabou tendo que ser votado duas vezes (fotos: jornal ACONTECEU)

 

Os vereadores da Câmara Municipal de São Mateus do Sul aprovaram esta semana as contas do exercício financeiro municipal de 2012, último ano de gestão de Luiz Adyr Gonçalves Pereira, que chegou somente agora ao Legislativo. O resultado, no entanto, teve um fator inusitado. Anteriormente tratado com votação aberta, teve todos os votos favoráveis. Quando foi constatado o erro e a necessidade, pelo regimento, de ser votação fechada, houve um voto contrário. A pauta seguiu sem transtornos para a segunda votação, em sessão extraordinária.

Ainda na sessão de segunda-feira (10), foram aprovados requerimentos para reunião entre as frentes parlamentares em defesa da Petrobras e Casa Familiar Rural; retirada do projeto de regulamentação de emissão de ruídos para melhor avaliação; e pedido de relatório de imóveis alugados pelo município. O vereador Cabo Lima queixou-se que a antiga sala utilizada pela Câmara, que é do município e precisou ser desocupada, segue até hoje sem uso, apenas como depósito.

Os vereadores ainda aprovaram indicações para retirada de tocos de árvores das calçadas do centro da cidade, e para construção de saída de emergência e arquibancadas no ginásio da vila Bom Jesus, tornando-o apto a receber competições oficiais.

O Legislativo prestou congratulações a Paulo Moraes, presente na sessão, pelo seu desempenho em competições de MMA, levando o nome do município, e também pelo seu trabalho social com crianças e jovens no esporte.

 

Rotary Xisto do Iguaçu e Conselho Tutelar marcam presença

Ainda na mesma sessão, foram convidados a apresentar seus trabalhos integrantes do Rotary Club Xisto do Iguaçu e do Conselho Tutelar de São Mateus do Sul. Em nome do Rotary, sua presidente Elaine Krinski Silveira Gliese explicou que o clube trabalha desenvolvendo o bem estar da comunidade a partir de serviços sociais. “Independentemente de qualquer sigla, recebemos sempre qualquer dica de projetos a serem desenvolvidos”, disse. Elaine adiantou que o clube planeja adotar uma escola e desenvolver projetos que estão em andamento no distrito rotário.

O Conselho Tutelar, representado por José Josmar Soares, Vera Luci Ferreira, Olinda de Paula Santos e Dulcinéia Ferreira Franco, também falou sobre seu trabalho, cujas decisões são realizadas em colegiado, pelos cinco membros existentes. O atendimento é 24 horas por dia, funcionando em horário comercial e o restante do tempo em plantão. Os conselheiros enfatizaram que seu atendimento prioriza aqueles que correm algum risco eminente e que realiza visitas e medidas protetivas.

Na ocasião, pediram para que a Câmara que dê prioridade absoluta em projetos para crianças e jovens. O conselheiro Josmar falou do problema de falta de vagas na educação infantil e de crianças que passam períodos ociosos na rua. “Temos que incrementar políticas para tirar essas crianças dessa situação, com mais atividades e vagas e no Centro da Juventude, Adolescentro e outros projetos onde as crianças possam ficar”. Também foi dito que é necessário esclarecer que o atendimento do Conselho é feito com os pais e responsáveis; para requisitar serviços públicos; e atuar com a Justiça e o Ministério Público. “Não temos poder de policiamento e de atuação sobre os jovens e crianças. “Acham que somos polícia de crianças” disse Vera.

 

Comentários

Leia também:

dsc_0296

As últimas impressões de Ledur

23 de dezembro de 2016