Há um ano das eleições, cenário político começa a se desenhar em São Mateus

09 de outubro de 2015

Ex-prefeitos, vereadores e novas alianças despontam nomes prováveis para pré-candidatura a prefeito da capital do xisto

 

Sem-Título-1

 

No dia 2 de outubro de 2016, os brasileiros voltam às urnas para eleger agora novos prefeitos e vereadores. Parece ainda distante, mas a realidade é que o cenário político municipal já começa a ser desenhado, com movimentações que já indicam o que o eleitor são-mateuense pode esperar de 2016 e almejar para o município nos quatro anos seguintes.

Os nomes que têm despontado como propensos pré-candidatos à Prefeitura de São Mateus do Sul por enquanto não trazem muita surpresa, com exceção de novas alianças políticas, já reveladas por conta dos prazos e exigências da Justiça Eleitoral em relação aos partidos. É o caso do ex-prefeito Francisco Luiz Ulbrich, o Tiquinho, que migrou para o PMDB, partido do também ex-prefeito Argos Fayad e do empresário Manoel Cordeiro. Além deles, despontam no páreo a possível volta de Luiz Adyr Gonçalves Pereira (PSDB), a recandidatura do prefeito Clóvis Ledur (PT) e a chegada do vereador Omar Picheth (PDT).

Argos Fayad não nega o interesse em retomar a administração municipal depois de quase 20 anos. “Entendo que o atual momento exige, além de muita honestidade, um ótimo preparo e qualificação para o cargo, além de coragem para enfrentar as dificuldades e ousadia para novos passos”, argumenta. Dentro desse quadro, acho que tenho a experiência e o conhecimento necessários para atender as expectativas de crescimento e progresso de nossa terra”.

O atual prefeito, Clóvis Ledur, sempre que questionado, foi enfático com a intenção de buscar o segundo mandato. Ao ACONTECEU, sua resposta se manteve, mas revelando sigla ainda indefinida. “Sou pré-candidato, a princípio pelo PT, mas tenho a possibilidade de migrar”, adianta, justificando a necessidade de seguir com o trabalho atual. “Pela continuidade de uma reformulação completa na estrutura administrativa. Não podemos retroceder”.

“Tenho muito a contribuir, pela própria experiência administrativa”, declara Luiz Adyr, apostando em um quarto mandato. “A cidade precisa ter obras, e é algo que não vemos. O município, aliás, ainda está sem certidão negativa junto ao Tribunal de Contas”, exclama.

Figura conhecida em outras eleições, Manoel Cordeiro diz não ser oficialmente um pré-candidato, mas não descarta a possibilidade. “Temos alguns pré-candidatos no partido. Mas se o meu nome estiver ‘na cabeça’ eu saio”, afirma.

Entre as possíveis novidades deste pleito, Omar Picheth já demonstrou interesse em disputar o cargo, mas afirma que sua posição vai levar em conta a parceria com Ledur. “Se ele for candidato à eleição, eu não me candidato. Mas se ele não sair, eu não sou pré-candidato, sou candidato”, diz, convicto.

Por fim, Tiquinho revela que foi convidado pelo partido e tem um acordo com a base aliada, hoje formada por seis partidos, segundo ele. “Nós vamos fazer uma pesquisa e quem estiver melhor nela, será o candidato”.

 

ENQUETE ENCERRADA

Falta um ano para as eleições municipais. Mas se fossem hoje, em quem você votaria?

  • Luiz Adyr (45%, 3.718 Votos)
  • Clóvis Ledur (43%, 3.613 Votos)
  • Argos Fayad (6%, 526 Votos)
  • Tiquinho (2%, 141 Votos)
  • Omar Picheth (2%, 139 Votos)
  • Espero outro candidato (2%, 130 Votos)
  • Mano Cordeiro (1%, 55 Votos)

Total: 8.322

Carregando ... Carregando ...

 

OBS. Recebemos relatos pontuais de alguma dificuldade em votar na enquete, e devido a isso, fizemos um ajuste nas configurações para tentar sanar eventuais problemas, mantendo a preocupação de evitar votos repetidos, para garantir um resultado fidedigno. Quaisquer problemas podem ser informados ao ACONTECEU.

Comentários

Leia também:

dsc_0296

As últimas impressões de Ledur

23 de dezembro de 2016