Derrubado projeto de redução dos subsídios dos vereadores

13 de novembro de 2015

Câmara ficou dividida, mas aceitou o segundo veto do prefeito sobre propostas polêmicas

 

DSC_0391Vereadores contrários ao veto não alcançaram número suficiente de votos (foto: jornal ACONTECEU)

 

Não será neste ano legislativo que os vereadores de São Mateus do Sul terão seus salários reduzidos. O prefeito Clóvis Ledur vetou o projeto de lei 022/2015, que alterava a remuneração do Legislativo de R$ 6,2 mil para R$ 800, e nesta segunda-feira (9) a Câmara aceitou o veto, em votação apertada.

Foi a segunda recusa de Ledur sobre um projeto do gênero. O projeto de lei 021/2015, que propunha reduzir os subsídios do prefeito, vice e secretários, foi vetado pelas mesmas razões — segundo Ledur, ambos são inconstitucionais, contrariando a Lei Orgânica do município que determina fixação de subsídios pela Câmara somente no último ano de legislatura.

Assim como o projeto 021/2015, o veto sobre o 022 também dividiu opiniões entre os vereadores, até ser acatado. Nesta sessão, Cabo Lima, Manoel Ferreto, Mário Stuski e Enéas Melnisk foram contra o veto. Omar Picheth, Bira, Luiz Cesar Pabis e Paulo Ferreira foram favoráveis. Geraldo de Paula e Silva não compareceu à sessão. O veto foi mantido, uma vez que são necessários ao menos cinco votos para a derrubada.

Pabis pediu que o projeto seja discutido no ano que vem, quando for apresentado novamente, a partir de debate e audiência pública. “Não importa o valor que fique, mas que seja amplamente discutido, assim como também a função dos vereadores e o número de vagas na Câmara”.

Picheth concordou em debater o assunto, no intuito de evidenciar à população que a Câmara local é uma das mais enxutas do Estado. “Uma parcela da população acha que temos regalias”, disse.

Comentários

Leia também:

dsc_0296

As últimas impressões de Ledur

23 de dezembro de 2016