Deputados estaduais abusam nos gastos no fim de ano

13 de fevereiro de 2015

Para não perder verba de gabinete que não se acumula para o ano seguinte, parlamentares aumentaram as despesas em dezembro; entre os mais “gastadores” destacam-se campeões de votos em São Mateus do Sul

deputados

Sem se preocupar muito com a economia da Assembleia Legislativa do Paraná (Alep), os deputados estaduais aproveitaram o fim de ano para gastar, literalmente, tudo o que tinham direito. É o que mostra levantamento divulgado pelo jornal Gazeta do Povo esta semana — segundo os dados obtidos junto ao Portal da Transparência da Alep, as despesas foram “turbinadas” no mês de dezembro para aproveitar ao máximo a verba de gabinete que cabe a cada parlamentar e que não se acumula para o ano seguinte.

Segundo o levantamento, cada deputado tem direito a R$ 376,8 mil anuais para gastar com despesas como combustível, alimentação, passagens, hospedagens, serviços gráficos etc — ou seja, R$ 31,4 mil mensais. Como o valor que sobrar não pode ser usado no ano seguinte, muitos parlamentares usam os últimos meses do ano para atingir a cota total a que têm direito. Ao todo, 46 deputados ainda ultrapassaram o valor máximo.

O deputado com maior gasto em dezembro foi Waldir Pugliesi (PMDB), que gastou R$ 116,6 mil só no referido mês, enquanto sua média mensal é de R$ 31,3 mil. Entre os maiores “gastadores” também estão deputados campeões de votos em São Mateus do Sul nas últimas eleições. Destaque para Alexandre Curi (PMDB), que gastou R$ 90,7 mil em dezembro de 2014, quase três vezes mais que a média dos outros meses. A reportagem da Gazeta ainda apurou que o deputado alugou por três vezes no ano uma casa de eventos de luxo em Curitiba — as duas últimas em novembro e dezembro. Sua assessoria não soube dar explicações sobre os eventos.

Entre os conhecidos dos são-mateuenses, destacaram-se também Nelson Justus (DEM) que gastou R$ 64,5 mil só em dezembro e R$ 373,4 mil no ano todo; Anibelli Neto (PMDB), com R$ 377,6 mil no ano todo e R$ 59 mil só em dezembro; Ney Leprevost (PSD) com R$ 375,3 mil no total e R$ 56,2 mil só em dezembro; e Professor Lemos (PT) com R$ 52 mil em dezembro e R$ 374,1 mil no ano.

Além da verba de ressarcimento, cada deputado tem disponível outros R$ 78,5 mil por mês para contratar até 23 funcionários comissionados.

Foto: Divulgação

Comentários

Leia também:

dsc_0296

As últimas impressões de Ledur

23 de dezembro de 2016