São Mateus do Sul atinge meta no Ideb 2013 entre escolas municipais e estaduais

12 de setembro de 2014

Resultados do indicador referente a 2013 mostram crescimento das escolas municipais e estabilidade nas estaduais, em relação aos resultados anteriores

800ideb

O Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais Anísio Teixeira (Inep) divulgou, na última semana, os resultados do Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) de 2013, que mostra o desempenho das escolas e seu desenvolvimento na superação das metas na educação propostas pelo Ministério da Educação (MEC). Tanto no ensino fundamental como no ensino médio, São Mateus do Sul aparece igual ou acima da meta.

Entre as escolas da rede estadual, a média não mostrou crescimento, mas também não houve retrocesso. A nota 4.5 registrada em 2011 se manteve, ficando exatamente na meta determinada pelo MEC para a cidade. Individualmente, quatro escolas atingiram suas metas (veja o infográfico), e a maior pontuação ficou com o Colégio Estadual São Mateus, com Ideb 5.2 — sua meta era 4.4.

O destaque maior foi para as escolas municipais, que alcançaram, em 2013, Ideb de 5.9 na média municipal, enquanto a meta era de 5.7. Individualmente, cinco escolas aparecem superando suas metas — a maior nota ficou com a Escola Municipal Olívio Wolff do Amaral, com 7.0, que obteve também o maior crescimento: sua meta era 5.8.

Localizada na vila Palmeirinha e atualmente com 109 alunos, a Escola Olívio Wolff do Amaral se mostra satisfeita e ao mesmo tempo surpresa com o resultado. “Vínhamos batalhando para alcançar a meta, e não imaginamos que pudéssemos ultrapassá-la desta maneira. Estamos surpresos e muito orgulhosos”, expressa a diretora, Ester Oroski de Souza. A direção atribui os resultados da escola ao trabalho em conjunto de toda a equipe e também às mais recentes atividades que entraram na rotina dos alunos. “No ano passado, iniciamos um reforço contraturno, que auxilia aqueles alunos que apresentam alguma dificuldade, e vimos uma evolução em muitos dos alunos do 5º ano, que são justamente os que realizam a prova para o Ideb. Além disso, a implementação de projetos de leitura desenvolveu essa capacidade nos estudantes, o que se reflete também nas outras disciplinas. Mas tudo é resultado de um trabalho em conjunto, dos professores dentro da sala de aula, dos alunos e funcionários”, explica. “É uma motivação para continuarmos neste caminho”.

Para a secretária municipal de Educação e Cultura, Dinéa Distéfano Wiltenburg, os índices demonstram que o trabalho e o comprometimento de todos se reflete grandemente no resultado. “O Ideb é uma ferramenta importante  para diagnóstico e deve servir para análise e posterior intervenção no que ainda deve ser melhorado”, reconhece. “De posse dos resultados, é importante que  a comunidade escolar se reúna para as reflexões necessárias”.

O Ideb é calculado a partir dos dados sobre aprovação e evasão escolar, por meio do censo escolar e das médias de desempenho dos estudantes nas avaliações da Prova Brasil.

IDEB

Desempenho estadual e nacional

O Brasil superou as metas na educação propostas pelo Ministério da Educação (MEC) para serem alcançadas em 2013 no ciclo inicial do ensino fundamental (do 1º ao 5º ano), mas ficou abaixo da meta projetada no ciclo final do ensino fundamental (6º ao 9º ano) e no ensino médio, de acordo com o Ideb 2013.

Nos anos iniciais, o Ideb registrado em 2013 foi de 5.2 pontos, acima do índice de 2011 (5.0) e acima também da meta projetada pelo MEC (4.9). Já nos anos finais do ensino fundamental, o Ideb foi de 4.2 pontos, um índice levemente superior do alcançado na edição anterior (4.1), mas abaixo da meta de 4.4 esperada pelo governo federal.

No ensino médio, o Ideb registrado no país foi de 3.7 pontos, o mesmo registrado em 2011. O índice ficou abaixo da meta de 3.9 pontos projetadas pelo MEC para o ano de 2013.

O Paraná, por sua vez, também só superou as metas do MEC nas séries iniciais do ensino fundamental, com Ideb 5.9, enquanto a meta era 5.6. Nas séries finais do ensino fundamental, a nota foi 4.3, um décimo abaixo do esperado, e no ensino médio, além de não cumprir as metas, as escolas tiveram um decréscimo na nota, que foi de 4.0 para 3.8. A meta era obter uma nota de, pelo menos, 4.2.

Foto: Arquivo escolar

Comentários