Reposições agendadas, transporte indefinido

26 de junho de 2015

Colégios tiveram até a última segunda-feira (22) para entregar calendários ao Núcleo Regional de Educação; insegurança permeia o transporte escolar

 

IMG_6007Com reposições agendadas, dificuldade está em garantir a verba para o transporte (foto: jornal ACONTECEU)

 

Os colégios estaduais do Paraná tiveram até esta segunda-feira (22) para entregar os calendários escolares para a reposição das aulas após a greve dos professores e funcionários, que comprometeu parte do ano letivo. No entanto, além do desafio de conseguir completar os 200 dias letivos determinados, os colégios e municípios anseiam por uma solução em relação ao transporte dos alunos nesses dias a mais.

No dia 18 de junho, os prefeitos que compõem a Associação dos Municípios Sul Paranaense (Amsulpar) se reuniram na sede da entidade, em União da Vitória, para discutir a questão, e se mostraram inseguros com os custos extras. Por orientação da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), os municípios ficaram de enviar um documento com as expectativas de gastos de cada município com o transporte durante as reposições de aulas. O presidente da Amsulpar, Antônio Luis Szaykowski, afirmou que as prefeituras não têm condições de bancar os custos a mais.  “Queremos ajuda do Estado para repor os gastos com o transporte escolar”, declarou.

Cada município é responsável por executar o serviço, custo que é bancado por duas verbas vindas dos governos estadual e federal, por meio do Programa Estadual de Transporte Escolar (Pete) e do Programa Nacional de Apoio ao Transporte Escolar (Pnate). Na terça-feira (23), o Estado sinalizou o pagamento de mais R$ 9 milhões no repasse estadual, cujo dinheiro vem de remanejamentos de recursos do Tesouro do Estado, segundo o governador Beto Richa.

Entretanto, somente em São Mateus do Sul, a despesa extra com o transporte escolar no período de reposição representa R$ 665 mil, conforme estimativa preliminar da Prefeitura.

Em relação à reposição, a representação local do Núcleo Regional de Educação (NRE) informou que todos os colégios de São Mateus do Sul entregaram seus calendários, e que eles estão agora em análise pelo NRE, que aprova ou sugere readequações. Maria Bernadete Wolochen Walter explica que se procurou padronizar os calendários das escolas urbanas e das escolas rurais, em função do transporte, que é interligado, e de forma a facilitar as aulas para todos os envolvidos. “Os calendários foram construídos de forma planejada pensando no transporte, nos alunos e também nos professores, a fim de manter organizados os horários daqueles que dão aulas em mais de um colégio”, explica.

Alguns colégios já começaram suas reposições, mas, em geral, para fechar o ano letivo, as aulas seguirão sem férias de julho até o dia 23 de dezembro, com aulas aos sábados. Uma licitação emergencial será feita para cobrir o transporte no período.

Comentários