Município alcança meta, mas nem todas as escolas se superam no Ideb 2015

20 de setembro de 2016

Índices municipais e estaduais foram suficientes para que a cidade, na média geral, atingisse a meta projetada pelo MEC

 

dsc_0042Foto: jornal ACONTECEU

 

O Ministério da Educação (MEC) divulgou, no dia 8 de setembro, o Índice de Desenvolvimento da Educação Básica (Ideb) 2015, indicador de qualidade educacional que é divulgado a cada dois anos. Na média geral, São Mateus do Sul conseguiu alcançar a meta determinada nas escolas municipais e estaduais. Individualmente, porém, nem todas as escolas conseguiram evoluir o suficiente de 2013 para 2015.

O Ideb combina informações de desempenho em exames padronizados – obtido pelos estudantes ao final das etapas de ensino – com informações sobre rendimento escolar e permitem o monitoramento do sistema de ensino no País, determinando metas com base no cálculo desses resultados, até o ano de 2021.

Entre as escolas municipais, a meta atual do município era de nota 6.0, e o Ideb 2015 ficou em 6.2. Entre os colégios estaduais, a meta projetada era de 4.8 e a nota obtida foi 4.9.

Individualmente, das 12 escolas municipais de São Mateus do Sul, cinco alcançaram suas metas em 2015 – Escola Municipal Durval Wolff do Amaral, Escola Municipal Professora Ezilda A. Ferreira, Escola Municipal Odemira Cunha, Escola Municipal Doutor Paulo Fortes e Escola Municipal Pedro Effco.

Já dos nove colégios estaduais da cidade, quatro atingiram suas metas – Colégio Estadual do Campo Anselmo Follador, Colégio Estadual Duque de Caxias, Colégio Estadual Professora Orlanda Distéfani Santos e Colégio Estadual São Mateus.

Os dados consultados na plataforma online correspondem às avaliações do quarto e quinto ano (escolas municipais) e oitavo e nono ano (escolas estaduais) do Ensino Fundamental. Os índices do Ensino Médio não podem ser consultados por escola ou por município, apenas por unidade da federação e país.

 

Avaliação

A nível de Brasil, a meta dos anos iniciais do Ensino Fundamental para 2015 foi alcançada por 74,7% das redes municipais, e não foram cumpridas nos anos finais, apesar do índice ter evoluído. No Ensino Médio, a meta do Ideb não foi alcançada e o índice permanece estagnado desde 2011. “Há evolução, mas em um nível aquém do que os estudantes brasileiros conseguem e merecem. Precisamos de uma reforma no Ensino Médio e de uma maior articulação das redes municipais e estaduais de ensino”, defende Maria Inês Fini, presidente do Instituto Nacional de Estudos e Pesquisas Educacionais (Inep).

O Paraná ocupa a quarta posição nos anos iniciais, a sexta nos finais e a sexta colocação também no médio no ranking nacional. Em nota sobre o desempenho das escolas estaduais no Ideb, a Secretaria de Estado da Educação destaca evolução na comparação com os índices anteriores e credita a melhora de desempenho aos primeiros frutos do Programa Meta – Minha Escola Tem Ação, que tem como objetivos elevar os índices educacionais, reduzindo o abandono e a reprovação por meio de uma boa gestão escolar. Em contraponto, há preocupação em relação ao Ensino Médio, que, segundo a secretária de Estado da Educação, Ana Seres, passará por uma reforma. “O Médio ainda registra maior taxa de evasão. É necessário adequar essa etapa do ensino para reverter esse quadro em cenário nacional. Mas esse é um trabalho que será feito a nível nacional e que inclui a aprovação do projeto de lei nº 6840/2013, que tramita na Câmara”.

Por fim, entre as escolas municipais de São Mateus do Sul, a avaliação é positiva para a Secretaria, que atribui o cumprimento da meta à inserção dos projetos voltados para cidadania e também empreendedorismo, às turmas multifuncionais que vem trabalhando de forma diferenciada com as crianças que apresentam dificuldades, e ao comprometimento dos professores. Como nem todas as escolas alcançaram os objetivos, entretanto, os resultados servem para indicar onde é possível melhorar. “Nossa leitura desta nota é que ela não pode ser um balizador que nos acomode. Temos que focar no que foi desenvolvido e o que pode ser melhorado, quais projetos ainda podem ser inseridos. É o ponto de partida”, declara a secretária municipal de Educação e Cultura, Dinéa Distéfano Wiltenburg.

Em relação às escolas que não apresentaram nota no Ideb 2015, a justificativa, segundo a Secretaria, é que as turmas que participam da avaliação não contêm o número mínimo necessário de alunos (20) e, por isso, não receberam a prova. Entre elas, está a Escola Municipal Olívio Wolff do Amaral, que obteve nota 7.0 na avaliação anterior.

 

Comentários