Manutenção das CFRs pelo Estado segue até o final do ano

31 de julho de 2015

AMP e prefeitos conseguem garantir verba para este ano; o futuro do programa para 2016, no entanto, segue indefinido

 

hedeson-alves-2Foto: Hedeson Alves/ANPr 

 

Atendendo reivindicação dos prefeitos e da Associação dos Municípios do Paraná (AMP), o governo do Paraná concordou em amenizar os cortes de recursos previstos para as Casas Familiares Rurais em 2015, garantindo a manutenção do programa até o final do ano. A decisão foi resultado de uma reunião realizada no dia 22 de julho, entre o governo estadual, a AMP e prefeitos da Associação dos Municípios do Sudoeste do Paraná (Amsop) e da Associação dos Municípios Sul Paranaense (Amsulpar).

O jornal ACONTECEU mostrou, na edição nº 840, a insegurança em relação à continuidade do programa, que incentiva, por meio da formação profissional, a permanência dos jovens no meio rural, e tem uma de suas 40 unidades em São Mateus do Sul, atendendo também jovens de Antonio Olinto. O encontro buscou propostas para rever o modelo de repasse de recursos às casas e otimizar os investimentos, reduzidos em 2015. Com isso, foi acordado que a verba de R$ 1 milhão prevista para este ano passará para R$ 3 milhões, garantindo a manutenção do programa até o final de dezembro. A secretária de Estado da Educação, Ana Seres, informou que os convênios com as Casas Familiares estão em fase de renovação e disse que os estudantes da educação profissional (que operam em 20 Casas Rurais) têm a garantia de continuidade no projeto até a cessação da oferta dos cursos profissionalizantes.

O futuro do programa para 2016, no entanto, segue indefinido. A secretária declarou que o Estado e os municípios precisam estar em regime de colaboração. “Isto se dá pelo entendimento. Precisamos juntos encontrar a solução para a manutenção das Casas Familiares Rurais”, disse Ana Seres, lembrando que as unidades têm autonomia para obter recursos junto a outras instituições e órgãos, além do governo do Estado, por meio de parcerias.

O prefeito de São Mateus do Sul, Clóvis Ledur, já sinalizou o interesse de municipalizar a área técnica da Casa Familiar Rural local, se não houver consenso e se isso for possível. A unidade hoje conta com um reforço, pelo patrocínio da Petrobras, para a realização do projeto “Da Horta Mandala à Agroindústria Familiar: Saberes e Sabores do Campo”, que objetiva a geração de renda de jovens agricultores familiares da região.

Comentários