Greve dos professores: como está a situação nos colégios de São Mateus do Sul

17 de outubro de 2016

Alguns professores aderiram à paralisação e situação das aulas é específica em cada instituição

 

 

assembleia_12_outubro_greve_tt-740x425-foto-tiago-tavaresParalisação foi decidida em assembleia da categoria, na semana passada (foto: Tiago Tavares)

 

Professores da rede estadual de ensino do Paraná aprovaram em assembleia, realizada na semana passada, o início de greve da categoria a partir desta segunda-feira (17). Segundo o Sindicato dos Trabalhadores em Educação Pública do Paraná (APP-Sindicato), o estopim da deflagração foi considerarem que o governo voltou atrás no compromisso de pagamento da data-base para janeiro de 2017, conforme conquista da última greve da categoria, enviando à Assembleia Legislativa uma proposta que suspende o pagamento do direito e condiciona o pagamento das promoções e progressões às sobras do caixa do Estado.

O Sindicato já enviou ofício ao governo do Paraná comunicando a decisão de greve, apresentando a pauta de reivindicações aprovada em assembleia e solicitando abertura de mesa de negociação para tratar dos itens da pauta.

Apesar da deflagração da greve por tempo indeterminado, a adesão não é geral no momento. Em São Mateus do Sul, a situação das aulas nesta segunda-feira é específica em cada instituição de ensino e pode mudar ao longo da semana. No município, também não há até o momento registro de ocupação de escolas por estudantes, como está acontecendo em algumas cidades do Paraná, em protesto contra a medida provisória 746, que determina uma reforma no ensino médio no país.

Para terça-feira (18), estava prevista a realização de oficinas do Formação em Ação para ocorrerem em todos os estabelecimentos estaduais de ensino do Paraná, mas a atividade foi adiada. Portanto, não havendo paralisação por conta da greve, haverá aulas neste dia.

 

Situação dos colégios de São Mateus do Sul em relação à greve, nesta segunda-feira (17)

 

Colégio Estadual São Mateus: 2 professores aderiram à greve até o momento, aulas normais.

Colégio Estadual Duque de Caxias: há algumas adesões e, com isso, horário especial.

Colégio Estadual Professora Zuleide Portes Samways: 6 professores aderiram à greve. Nesta segunda ainda há aulas normais e a partir de amanhã, terça, após remanejamento, deverão ser dispensadas algumas turmas.

Colégio Estadual Professora Orlanda Distéfani Santos: 5 professores aderiram à greve, mas há aulas normais.

Colégio Estadual Professor Paulo Stencel: 8 professores e mais 2 funcionários aderiram à greve, e há mais 2 professores com licença médica. Aulas normais nesta segunda, mas está sendo estudado o remanejamento e a partir de terça deverá haver dispensa de algumas turmas.

Colégio Estadual do Campo Professor Eugênio de Almeida: sem adesões até o momento, aulas normais. Na terça-feira haverá reunião entre os alunos para decidir movimento sobre a PEC do governo federal, e os professores também devem se reunir para deliberar sobre a greve.

Colégio Estadual do Campo do Lajeado: sem adesões até o momento, aulas normais.

Colégio Estadual do Campo Turvo: sem informações até o momento.

Colégio Estadual do Campo Anselmo Follador: sem informações até o momento.

 

Pauta de reivindicações da categoria

 

  • Retirada das emendas da LDO contidas na mensagem 43 que afetam o cumprimento da data-base;
  • Implantação e pagamento dos atrasados das progressões e promoções;
  • Equiparação do salário dos/as funcionários/as ao salário mínimo regional;
  • Reajuste do auxílio transporte para funcionários/as PSS;
  • Retirada da falta do dia 29 de abril;
  • Pauta Nacional – Contra MP 746, PEC 241, PL 257 (PLS 54), Reforma da Previdência.

Comentários