Em experiência voluntária, psicóloga contribui com projeto educacional no sertão do Piauí

27 de fevereiro de 2015

Voluntariado abriu visão da profissional e levou a contação de histórias para uma realidade totalmente diferente e carente de oportunidades

820ROSANA2

Nada como um trabalho voluntário e um choque de realidade para abrir a mente de uma pessoa para a vida, o mundo em que vive e para aflorar o sentimento de querer fazer a diferença, contribuir. Uma experiência assim, vivida em uma humilde região do sertão do Piauí, no nordeste brasileiro, mexeu com uma psicóloga são-mateuense e chamou a atenção para a força do voluntariado.

Rosana Vistuba, que coordena um projeto de contação de histórias em São Mateus do Sul, passou uma semana capacitando professores nas pequenas cidades de Betânia do Piauí e Curral Novo. Foi convidada pela ONG Omunga para integrar a equipe de voluntários do projeto Escolas do Sertão, que nasceu com o objetivo de criar melhores perspectivas de educação para crianças que vivem em regiões de extrema vulnerabilidade social no Brasil e transformar o sentimento de compaixão em atos práticos.

A são-mateuense atuou como consultora educacional e focou em temas como o comportamento do adolescente, a relação entre família e escola e pedofilia, além da contação de histórias. Em suas explanações, colaborou por quebrar a cultura do silêncio ainda muito presente em temas polêmicos e tabus, que dificultam as relações no âmbito educacional. “Senti que foi possível sensibilizar as professoras, e quebrar a barreira do silêncio, principalmente no que diz respeito à pedofilia, que era uma das minhas maiores preocupações nesse projeto”, conta Rosana.

A ONG Omunga, fundada por Roberto Pascoal, concretizou a criação de bibliotecas nas duas cidades — uma delas em uma comunidade do interior do município — com ampliação do acervo de livros e aquisição de móveis e equipamentos. O investimento foi possível devido a contrapartidas com o poder público, iniciativa privada e ONGs e a criação de uma grife social de camisetas, condição para que as pessoas e empresas de todo o Brasil participassem.

Para Rosana, a experiência ampliou o valor às pequenas coisas e pequenas atitudes, diante de uma realidade tão humilde e resultados tão satisfatórios, e incentivou ainda mais a continuidade de ações a favor do próximo. “O voluntariado e a contação de histórias me deram a oportunidade de realizar este intercâmbio cultural. Conhecer o sertão do Piauí foi uma rica oportunidade para contribuir com a educação do país!”, expressa.

Fotos: ONG Omunga

820ROSANA 16470024471_63c9e75b72_k

Comentários