Colégio Paulo Stencel realiza atividades de prevenção contra a dengue

30 de setembro de 2016

Todo mês, alguma ação mobiliza a comunidade escolar unindo a teoria e a prática

 

sem-titulo-1

 

Com informações e fotos do Colégio

O Colégio Estadual Professor Paulo Stencel, da Vila Americana, intensificou as ações educativas e pedagógicas com toda a comunidade escolar no combate à dengue, chikungunya e zika, com a junção da teoria e da prática. De acordo com Lei nº 17.675, referente ao Dia de Ação contra a Dengue, todo mês alguma ação mobiliza o colegiado e leva os conhecimentos para além da sala de aula.

As ações se iniciaram em junho, com a elaboração de folders com os alunos do 9º ano B, que, após a confecção do material, fizeram a distribuição orientando a comunidade (professoras Elenir e Vera). No mês de julho, foi realizada uma performance com os alunos do 8º ano B, com caracterização dos mosquitos, divulgando nas demais salas de aula os riscos e as medidas de prevenção (professoras Prisleine e Juliana). No mês de agosto, foi elaborado o teatro “Totonho contra a dengue”, atividade na qual os alunos do 7º ano B repassaram para os colegas, de forma lúdica, os cuidados para evitar a doença (professoras Ivone e Eliane). Já em setembro, os alunos envolvidos foram do 6º ano A, elaborando uma paródia para ser apresentada após a hora cívica do Colégio (professoras Rosangela e Cristiane). Outras atividades serão realizadas pelos demais professores, de acordo com o cronograma elaborado.

Tendo em vista que o tema é bastante abrangente a todo o colegiado, os alunos do Programa Mais Educação (Futsal, Jornal, Acompanhamento Pedagógico, Teatro, Promoção à Saúde e Monitoria) fizeram sua contribuição, além de trabalhos em sala de aula, participando de uma aula de campo em conjunto com os alunos dos demais programas do Colégio, em contraturno (sala de recurso e sala de apoio). Os alunos foram divididos em grupos, orientados e acompanhados por um professor responsável para visitar o entorno do Colégio, residências e campo de futebol.  Assim, eles puderam observar os possíveis pontos de proliferação do mosquito Aedes aegypti, além de realizar a ação prática na eliminação do possível foco do mosquito. De volta ao Colégio, cada grupo relatou sua experiência, contextualizando os ensinamentos teóricos com a vivência na prática.

Para o Colégio, a dengue é um dos mais graves problemas de saúde pública da atualidade enfrentado pela população, e somente com a efetiva participação de todos, adotando medidas no seu dia a dia no controle dos criadouros do mosquito transmissor da doença, é que será possível minimizar o agravamento da situação. Para os estudantes, a mensagem foi dada, e deve ser agora passada adiante. “É importante lembrar que o mosquito Aedes aegypti não transmite somente a dengue, mas também a zika e a chikungunya. Vi várias casas abandonadas e bem sujas”, destaca a aluna Gisleine, do 7º ano A, sobre a ação que participou. “Nessa experiência que tivemos, aprendemos que não se deve jogar copinho descartável entre outros lixos, que se jogados no chão podem acumular água e o mosquito da dengue pode se reproduzir”, comenta o aluno Rubens, do 2ª ano A.

 

Comentários