Colégio Estadual Profº Paulo Stencel é o 1º de São Mateus do Sul a ser ocupado por estudantes em protesto

21 de outubro de 2016

Movimento contra MP que reforma o Ensino Médio já atinge 600 escolas no Paraná, segundo Upes

 

dsc_0093Foto: jornal ACONTECEU

 

O movimento de ocupação de escolas por estudantes que protestam contra a reforma no Ensino Médio chegou a São Mateus do Sul. Na noite de terça-feira (18), os alunos do Colégio Estadual Professor Paulo Stencel, da vila Americana, ocuparam as dependências da instituição e esperam que a ação alcance outros colégios da cidade.

A iniciativa partiu do Grêmio Estudantil, que obteve apoio dos demais estudantes, dando início à mobilização. Os grupos se revezam para permanência constante no local, supervisionando a entrada e se organizando em equipes para limpeza, segurança, comunicação e alimentação. Segundo eles, alguns pais têm ficado no local. “Nós não estamos aqui para vandalizar. Todos estão muito conscientes dos objetivos e cuidando para que tudo se mantenha organizado”, comenta a presidente do Grêmio Estudantil Professor Paulo Stencel, Luciana Machado.

O movimento já atinge 600 escolas no Paraná, além de algumas universidades e Núcleos de Educação, segundo a União Paranaense de Estudantes Secundaristas (Upes), e a intenção é ampliar a adesão para pressionar o governo a realizar uma conferência em que os estudantes poderão apresentar uma contraproposta à Medida Provisória (MP) 746/2016 do Ensino Médio.

O ponto mais polêmico da MP é tornar apenas as disciplinas de Língua Portuguesa e Matemática obrigatórias, e as demais optativas, a depender da área de conhecimento que o aluno decidir seguir: Linguagens, Matemática, Ciências da Natureza, Ciências Humanas e Formação Técnica Profissional. “Este formato não daria base suficiente em algumas disciplinas, afetando-nos no vestibular, além do que é uma decisão complicada para estudantes da nossa idade, que podem mudar de ideia em relação ao que querem fazer e precisariam estudar o que ficou para trás”, argumenta Luciana.

Os jovens do Colégio Paulo Stencel também está se colocando à disposição de estudantes de outras escolas que pensam em aderir também ao movimento. Até o momento, não há mais nenhum colégio local ocupado. As informações serão atualizadas na edição impressa de amanhã ou a qualquer momento na versão online.

Governo

O governador do estado, Beto Richa, participou na terça-feira (18) de reunião em Brasília com o ministro da Educação, Mendonça Filho, para discutir o movimento de estudantes, e disse que entregou relatório dos seminários que debateram com a comunidade escolar paranaense a proposta do governo federal de reforma do Ensino Médio. Em nota divulgada no início da semana, o governo estadual declarou que decidiu decretar recesso escolar de cinco dias nas escolas da rede estadual ocupadas por estudantes e também enviar ofícios ao Ministério Público, Conselhos Tutelares e ao Poder Judiciário pedindo ações em relação a adolescentes menores de idade que participam do movimento. O Estado afirma que as ocupações das escolas estaduais vão prejudicar o andamento do calendário deste ano letivo e de 2017, e que a perda de conteúdos, às vésperas do Exame Nacional do Ensino Médio (Enem) — marcado para o início de novembro — e dos vestibulares, tem preocupado pais e estudantes.

Comentários