Aulas voltam ao normal após 44 dias de greve dos professores

12 de junho de 2015

Assembleia da categoria realizada na terça-feira (9) decidiu pelo fim da paralisação, acatando proposta de reajuste feita pelo governo do Estado

IMG_5739Aulas foram retomadas de forma integral na quarta-feira (foto: jornal ACONTECEU)

 

Após 44 dias de intensa mobilização por todo o Paraná, os professores da rede estadual decidiram encerrar a segunda greve da categoria promovida somente este ano. Em assembleia realizada na Vila Capanema, em Curitiba, 70% dos cerca de 12 mil professores presentes aprovou a indicação do comando de greve, segundo a APP Sindicato.

Após a votação, o presidente da APP, Hermes Leão, deu uma entrevista coletiva na qual reforçou a decisão da categoria pelo encerramento da greve. “A maioria decidiu pelo final desta greve. Foi um debate amplo. Temos a compreensão que foi um movimento vitorioso e nós vamos continuar uma luta intensa, em cada local de trabalho, com pais, mães, estudantes e com a sociedade”. A secretária educacional do Sindicato, Walkíria Mazeto, destacou durante a assembleia que a categoria não aceita punições e está ciente do compromisso de reposição das aulas. “Nossa luta é para que a educação pública seja de qualidade. Faremos a reposição dos conteúdos e vamos garantir o direito dos alunos de ter as aulas dentro do calendário que ainda será definido junto à Secretaria Estadual de Educação (Seed)”. A Seed entregou um documento à direção da APP-Sindicato, no qual faz o compromisso de que as faltas no período de greve não serão descontadas dos educadores, conforme a reposição das aulas e compensação da carga horária dos funcionários.

A proposta de reajuste feita pelo governo do Estado, após negociação intermediada por deputados estaduais, consiste no pagamento de 3,45% de aumento (referente à inflação de maio a dezembro de 2014) em única parcela em outubro deste ano. A inflação referente a 2015 será zerada em janeiro de 2016. As perdas inflacionárias de 2016 devem ser pagas em janeiro de 2017 – quando os servidores também ganham um adicional de 1%. A proposta prevê ainda a reposição da inflação de janeiro a abril de 2017 em 1.º de maio daquele ano – quando a data-base do funcionalismo estadual voltaria a ser em maio.

Na quarta-feira, as aulas começaram a ser retomadas dentro da normalidade nos colégios estaduais de São Mateus do Sul. Ao longo do período de paralisação, houve aulas pontuais, para algumas turmas, assim como algumas reposições já haviam sido iniciadas.

Comentários