Arte do wycinanki está em exposição na Casa da Memória

14 de agosto de 2015

Artesanato típico polonês de Emília Piaskowski fica exposto em São Mateus do Sul até setembro

 

DSC_0611bArtista conferiu pessoalmente a abertura de sua exposição na Casa da Memória (foto: jornal ACONTECEU)

 

As mãos frágeis a um primeiro olhar, mas habilidosas ao se constatar o resultado final do trabalho, dão vida a artesanatos de papel que enchem os olhos e resgatam mais uma das tantas tradições vindas da Polônia e cultivadas por seus descendentes.  A arte é resultado do trabalho de Emília Piaskowski, curitibana filha de imigrantes poloneses. A técnica é o wycinanki, trabalho que pode ser conferido em exposição da artista em cartaz na Casa da Memória Padre Bauer.

Emília esteve em São Mateus do Sul na segunda-feira (10) para a abertura da exposição “Wycinanki e Arte Popular Polonesa” e bate-papo com interessados pela cultura polonesa e pela arte tão simbólica, como parte da programação do mês polonês. A última vez que veio para a capital do xisto foi há 19 anos, ocasião em que ministrou um curso da técnica artesanal. Desta vez, veio mostrar o seu trabalho a novas gerações por intermédio da Casa de Cultura Polônia Brasil. “A técnica precisa ser preservada”, defende, incentivando o interesse pela arte.

O wycinanki é uma prática antiga realizada pelos poloneses por meio de papéis recortados, que ganham combinações de cores e formas delicadas, impressionando pelos detalhes. As figuras geralmente consistem em desenhos ligados à natureza e ao trabalho do homem, formas geométricas ou símbolos de datas festivas. Com a chegada dos imigrantes poloneses no Brasil, as mulheres trouxeram consigo o gosto por esse tipo de recorte, enfeitando suas prateleiras e guarda-louças, enquanto os homens arrematavam os beirais de suas casas de madeiras com os lambrequins típicos, conforme o costume de seus ancestrais.

O trabalho de Emília Piaskowski com o wycinanki pode ser conferido na Casa da Memória até o dia 25 de setembro, com visitação de segunda a sexta, das 8h às 18h.

 

Programação

Ainda como parte da 22ª Tradycje Polskie, há palestra agendada para o dia 20,  “Os guerreiros poloneses”, proferida pelo escritor Gerson Souza no Colégio Duque de Caxias; e no dia 28, “Paisagem Cultural da Água Branca”, ministrada pela geógrafa Liliane Lucena, também no Duque de Caxias. A exposição João Paulo II está na Paróquia Nossa Senhora do Perpétuo Socorro, seguindo nas semanas seguintes para São Mateus e Água Branca, respectivamente. O jantar típico polonês acontece no dia 22, no salão paroquial da Igreja Matriz, enquanto a inauguração do monumento ao Perna de Pau acontece na praça da Igreja Matriz no dia 26. No dia 30, será feito o plantio de mudas de carvalho no futuro Santuário João Paulo II e na Água Branca. A programação se encerra no mesmo dia, com a tradicional festa de Nossa Senhora de Czestochowa na igreja centenária da Água Branca.

Comentários