Apae de São João do Triunfo dá início ao projeto “Cultivando e Incluindo Cidadãos”

01 de maio de 2015

Com patrocínio da Petrobras e Governo Federal, projeto socioambiental prevê atividades de qualificação na produção de mudas de flores e hortaliças, visando a inclusão social

logo projeto

Divulgação/Apae

A Associação de Pais e Amigos dos Excepcionais (Apae) de São João do Triunfo participou, no ano passado, da seleção de projetos socioambientais da Petrobras, por meio da qual foi contemplado o projeto “Cultivando e Incluindo Cidadãos”. Assim, durante os próximos dois anos, a Apae desenvolverá o projeto que conta com o patrocínio da Petrobras e Governo Federal, além da parceria com a Prefeitura Municipal de São João do Triunfo e com a Emater.

O objetivo do projeto é proporcionar orientações técnicas e profissionais a 30 alunos com a idade entre 16 e 46 anos, matriculados na Escola de Educação Especial Razão de Viver, para que possam produzir e cultivar mudas de flores e hortaliças. Para a execução deste processo foi contratada uma equipe técnica composta por coordenador, assistente social e técnico agrícola.

O Instituto de Ensino, Pesquisa e Prestação de Serviço (IEPS), de União da Vitória, também contratado por meio do projeto, será responsável por oferecer, semanalmente, cursos de capacitação de produção de mudas aos alunos do projeto.

Uma das primeiras ações é a montagem de uma estufa na escola, para cultivo das flores e hortaliças. Parte das mudas produzidas na estufa do projeto será destinada às famílias dos alunos, para incentivar o cultivo de horta em suas casas. Também serão destinadas mudas para ornamentação do canteiro central da cidade e para comercialização em eventos e festas municipais. O valor arrecadado será utilizado para promover atividades com os alunos participantes.

De acordo com a diretora Silvana H. Dombroski, o projeto “Cultivando e Incluindo cidadãos” trará grandes benefícios para a escola e para os educandos: “Serão realizadas diferentes atividades dentro de uma perspectiva interdisciplinar, demostrando suas capacidades e potencialidades, contribuindo dessa forma para fortalecer a inclusão de pessoas com deficiência na sociedade, por meio da qualificação profissional”, destaca.

 

Comentários