Uma ponte para o futuro

28 de novembro de 2014

Construída na metade do século passado em estrutura mista — parte de ferro, parte de concreto — a ponte sobre o nosso Iguaçu já levou muita gente e muitos veículos de um lado a outro do rio. Depois de mais de cinquenta anos, em 2008, foi reformada e ganhou a força e a aparência de hoje. Mas e antes? Como os primeiros carros chegaram a São Mateus do Sul? Uma das formas era no interior dos barcos a vapor. A outra era nas balsas, conforme observamos nesta foto, em que aparece o senhor Agenor Nascimento (de óculos).

Na época em que foi inaugurada, o máximo que a ponte precisava suportar era o peso dos antigos caminhões dos anos 50, que não chegavam a ter 20 toneladas. O tráfego intenso da BR-476 e o peso das cargas atuais, com alguns caminhões chegando próximo de 90 toneladas, provocaram rompimento dos aterros das cabeceiras. Os três vãos centrais, construídos com sucata de ferro da Rede Ferroviária, tiveram sua estrutura comprometida e enferrujada com o passar dos anos. Trincas e rachaduras em toda a estrutura inferior da ponte denunciavam recalque de fundação. Os pilares, do final dos anos 40, eram apoiados em estacas de madeira.

Hoje, bela e moderna, a ponte é conhecida como um dos cartões postais da nossa cidade, representando também desenvolvimento, já que por ela são transportadas muitas riquezas, todos os dias.

544nelson

Chegada de um automóvel por meio da antiga balsa, num tempo antes da construção da ponte. Nas outras fotos, a construção da ponte. Acervo: Gabrielle Muchalak

544nelson1 544nelson2

José Nelson Chaves de Souza

jnelson.souza@gmail.com |

Comentários