Um nódulo, uma bagunça

01 de maio de 2015

Foi durante um banho que notei um nódulo no seio direito. Pequeno, quase imperceptível. De início não dei muita importância, pois achei que logo não estaria mais ali, como acontece muitas vezes com mulheres que sofrem de tensão pré-menstrual.

Mas os dias foram passando e o nódulo não desapareceu. Uma sensação esquisita trouxe o início de uma preocupação e comecei a ficar inquieta. Resolvi, então, procurar uma opinião médica. O primeiro exame indicado foi a mamografia.

Eu nunca havia feito esse exame antes e não sabia o quanto era desconfortável. Apesar de ser um exame simples, foi necessário um certo esforço, com repetições, para que a imagem aparecesse perfeita. Cumpre deixar claro que o exame não provoca dor e é essencial para detectar anomalias e salvar vidas.

O resultado alcançado foi “nódulo palpável que merece prosseguimento de investigação”. Com classificação “4B do BI-RADS”. Eu não entendi nada do que isso significava. O médico me esclareceu sobre a existência de um nódulo, que poderia ou não ser maligno.

A escala BI-RADS é utilizada no mundo inteiro para classificar os laudos resultantes das mamografias, indo de 01 (negativo) a 06 (positivo) para o câncer de mama. Assim, havia a necessidade da realização de um novo exame, com a retirada de um pedaço do nódulo para biópsia, o exame chamado core-biopsy.

A biópsia é um pouco dolorida. O médico aplicou uma anestesia local e com uma agulha fez várias punções em direção ao nódulo, arrancando pedacinhos minúsculos que foram analisados. O resultado ultrapassou a classificação 5 do BI-RADS, recebendo o nome de carcinoma.

Com o resultado positivo, foi necessária a realização de uma bateria de exames para verificar se a doença não havia se espalhado pelo corpo, como ecografias do tórax e abdômen, exames de sangue, e todos, com muita sorte, resultaram negativos.

Foi aí o início da bagunça que se tornou a minha vida, trazendo dor, angústia, inseguranças e inúmeras incertezas. Mas, apesar de todos os momentos ruins e as dores e reações do tratamento, consigo ver a importância do diagnóstico precoce. Detectadas logo no início, não houve tempo para que as células cancerígenas se espalhassem para outras regiões do corpo, o que é essencial para o sucesso do tratamento, aumentando as chances de cura, e refletindo numa melhor qualidade de vida.

Francini Franco do Prado

francini.adv@hotmail.com |

Comentários