Torcendo pelo Brasil!

18 de julho de 2014

Em outra oportunidade, comentei que deve-se, ou pelo menos eu gosto de falar de futebol, política e religião, sem querer convencer ninguém, só trocando ideias…

Tenho observado muitas trocas de farpas de amigos e conhecidos. Algumas ao vivo e outras pela internet, principalmente pelo xodó do momento, o Facebook. Colocam algumas realizações dos seus preferidos e principalmente as falhas dos adversários. Esse ano com eleições é pródigo disso e o pessoal se supera.

Se formos prestar atenção, realmente vamos ficar sem opções para voto nos principais cargos em disputas — indo no popular, ninguém presta. A escolha se dará pela contramão, no lugar da melhor opção, será escolhido o “menos” ruim. Vejo amigos de uma lado criticando ferozmente a direita e outros a esquerda, ou se preferirem, a situação e a oposição.

Bom, diria eu, que até é normal, já que antes as conversas ou discussões eram mais próximas, no trabalho, numa conversa de bar ou reunião. Hoje a maior parte é pela internet. Mas o meu questionamento na verdade é pela maneira como se dá esse embate, pois eu (assim como muitos) acabo ficando no meio do fogo cruzado, escutando ou lendo ambos os lados. Nisso tudo é até vantajoso, pois olhando de fora é mais fácil ter uma visão do todo. Bem, eu acho…

Eu creio que tem sido uma discussão muito superficial, pois é uma tentativa de convencer no “grito”. Eu gostaria de ver duas coisas pelo menos: uma seria o que se quer fazer e como, a outra é por que não fez ainda. Me dê um desconto e me digam também, das promessas não realizadas…

Eu também acompanho o Facebook, e posto algumas coisas dos dois lados, a favor e contra também… Outro dia coloquei, ou melhor, compartilhei, uma que falava sobre a educação, onde apontava que estávamos em 34º lugar em educação, daí me questionaram se só existiam 34 países no mundo. Só respondi que somos a 6º ou 7º economia…

A verdade é que temos que ter nossas convicções, mas eu vejo que muitos acabam levando a política como se leva a paixão por um time de futebol. Eu, por exemplo, sou torcedor do Coritiba desde sempre. O time está caindo pelas tabelas (literalmente…), mas continuo torcendo e defendendo com unhas e dentes… Agora, na política, o pessoal leva na mesma situação. Parece que passou a virar torcida — vou continuar só falando bem sem ver os grandes erros… como dizem, tapando o sol com a peneira. Vi outro dia uma postagem falando que o rombo do metrô em São Paulo foi muito maior do que o Mensalão. Pode até ter sido, mas a questão é que todos devem ser presos, pois um roubou R$ 400 milhões não inocenta aqueles que roubaram apenas R$ 60 milhões…

É bíblico, “A César o que é de César, a Deus o que é de Deus…” e prisão para todos os que roubaram…

Hugo Lopes Jr

hugo-ljr@hotmail.com |

Comentários