Pequenas empresas: a grande força da economia

09 de outubro de 2015

Um em cada três brasileiros tem ou está montando o seu negócio. Por si só, esta frase já nos torna campeões em empreendedorismo e demonstra uma de nossas características mais marcantes: a capacidade criativa e de iniciativa na arte de empreender. Em recente pesquisa, o sonho de montar uma empresa aparece em terceiro lugar, perdendo apenas para o sonho da casa própria, seguido pelo desejo de viajar pelo Brasil. Estar entre os atuais 10 milhões de pequenos negócios do Brasil, é, portanto, realizar um projeto de vida.

No dia 5 de outubro comemoramos o Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa.  A data foi criada em 2006 quando a Lei Geral das MPE foi aprovada e o Simples Nacional passou a existir efetivamente reduzindo a carga tributária e simplificando processos, além de facilitar o acesso ao crédito às pequenas empresas. Para ser considerada uma microempresa, é preciso ter um faturamento de até R$ 360 mil por ano, enquanto que na pequena empresa o faturamento é de até R$ 3,6 milhões por ano.

“São as maiores geradoras de emprego e renda no país, responsáveis por mais de 17 milhões de empregos. Portanto, a pequena empresa é o motor da economia do Brasil”, afirma o presidente do Sebrae, Luiz Eduardo Barretto Filho.  As micro e pequenas empresas representam 95% dos estabelecimentos formalizados, respondem por 52% dos empregos com carteira assinada, 40% da massa salarial e também por 27% do Produto Interno Bruto (PIB). Os números demonstram a real capacidade dos pequenos negócios: estar em todo o lugar e gerar renda, transformar realidades e “aquecer” a economia.

A importância dos pequenos negócios para o desenvolvimento do Paraná e do País, segundo o diretor-superintendente do Sebrae/PR, Vitor Roberto Tioqueta, é destaque na economia.  “Há 15 anos, as taxas de sucesso e de mortalidade das micro e pequenas empresas se equiparavam. De cada 100 micro e pequenas empresas abertas nos dois primeiros anos, período mais crítico para um pequeno negócio, 50 prosperavam e 50 fechavam as portas. Hoje, 75 prosperam de cada 100 pequenos negócios”, destaca ele.  Essa mudança para um perfil de mais sucesso empresarial se deve em grande parte à busca de maior profissionalização, através do conhecimento, planejamento e reconhecimento de oportunidades. O acesso facilitado a entidades de apoio empresarial, como as CDLs e ACIAs, que trabalham em parceria com Sebrae e Senac, por exemplo, supre a busca pela orientação técnica antes de abrir um novo negócio e também depois de a empresa já estar estabelecida.

Para marcar o Dia Nacional da Micro e Pequena Empresa, foi criado o Movimento Compre do Pequeno Negócio, com o intuito de valorizar os pequenos negócios e estimular a compra consciente de produtos e serviços das micro e pequenas empresas. “Os pequenos negócios têm bons produtos e serviços, com qualidade e preços cada vez mais competitivos. Ajudam no desenvolvimento do País, porque são a maioria das empresas e na maioria das vezes são a oportunidade do primeiro emprego. Apostar nos pequenos, é apostar no Brasil”, classifica Tioqueta.

Em São Mateus do Sul, a CDL, ACIA e o Conselho da Mulher Empresária estão realizando o Mês do Empreendedor com atividades e palestras voltadas para os empresários e seus colaboradores, com uma programação que se estende durante todo o mês de outubro. O recado do evento está em destacar as atitudes e ações que devem ser adotadas no dia a dia empresarial na busca pelo aperfeiçoamento e crescimento. Não se deixar levar pelo pessimismo perante as dificuldades políticas e econômicas atuais. Inovar com criatividade, buscar a excelência no atendimento em toda a rede de contato e ampliar parcerias, enxergando oportunidades de rever processos e negócios, devem ser os valores buscados pelas empresas, independente de seu tamanho.

Ingrid Eliane Hoch Ulbrich, lojista e presidente da CDL – Gestão 2015/2016

CDL São Mateus do Sul

contato@cdlsms.com.br | http://www.cdlsms.com.br/

Comentários