Não gosto de ler, e ponto.

08 de julho de 2016

Se você me disser que nunca foi obrigado a ler um livro para uma prova da escola, ou que seus pais não disseram que você tinha que “sair” do celular e ler mais, eu não vou acreditar.
Embora, atualmente os livros estejam muito mais acessíveis, e seus assuntos mais variados, muitos de nós ainda não pegaram em um livro, por gosto ou por livre e espontânea vontade.
Eu sempre gostei de ler. A prateleira do meu quarto que o diga, está caindo de tanto livro que tem nela, tadinha. Mas quando eu tinha 11 anos eu era, noooossa, a rebelde! Não lia só porque a minha mãe me obrigava. Então, no Natal de 2012, ela me deu “Poderosa”, do Sérgio Klein. Eu adorei a capa, de verdade * Não adianta, por mais que você tente, você sempre vai julgar um pouco o livro pela capa *, então resolvi que ia ler. Depois de duas semanas, desde que tinha começado, tive que comprar o segundo, depois o terceiro, e quando vi já estava lendo o último escrito até aquele tempo, então comecei a ler outros tipos de histórias e, embora o autor desses livros tenha falecido em 2012, eu sempre vou ser grata a ele por ter escrito, o que me fez começar a amar livros.
Mas a mais pura verdade é que ler é bom, e se você diz que ficar parado olhando para um pedaço de papel é entediante, você está certo. “Ué Anna, isso não faz o mínimo sentido”. Faz sim! O ponto é que os livros não são apenas pedaços de papéis, são planetas alternativos impressos que só precisam de alguém lendo para serem trazidos à realidade. É possível ir para qualquer lugar nesse mundo ou em outro apenas lendo. Lógico que, às vezes, até você chegar a um livro que você goste ou ele chegar a você, pode demorar um pouquinho, mas é o mesmo resultado final de assistir à um filme: você se transporta para outro lugar.
Além disso, a leitura não está aplicada só na área da diversão e do entretenimento. Fazer o quê? Os vestibulares exigem né… não são os assuntos mais divertidos, mas a literatura clássica sempre vai ser importante, não adianta lutar contra isso.
*Uma dica que ajuda muito para começar a ter esse hábito é: não escolha um livro já pensando que não vai gostar. Comece. Leia. Se você não curtir muito depois de um tempo, é só trocar, mas pelo menos você já começou.
E é isso, se você tem alguma dica ou algum assunto do qual quer que eu escreva aqui, me mande um e-mail que eu vou fazer o possível 😉

annajulia.reginato@yahoo.com.br

Beijos,
Anna.

Anna Júlia Reginato
Tem 15 anos e meio e cursa o 2º ano do Ensino Médio, no Colégio Maria Augusta, de São Mateus do Sul.
anna@jornalaconteceu.com.br |

Comentários