Meu Outubro Rosa

23 de outubro de 2015

O mês de outubro é um mês diferente. Nele são realizadas diversas campanhas a fim de propiciar a conscientização da população acerca da prevenção do câncer de mama e a importância do diagnóstico precoce.

Para mim este mês de outubro tem um gostinho especial: um ano da realização da cirurgia para retirada do tumor maligno.

No dia 2 do ano passado, eu vesti aquela camisola típica dos hospitais (com abertura atrás), sapatilhas e touca descartáveis e entrei no centro cirúrgico com uma tranquilidade invejável. Acredito que as orações das pessoas queridas me fizeram receber uma benção divina de paz e confiança de que tudo terminaria da melhor maneira possível.

A cirurgia conservadora (aquela que não retira a mama inteira, mas apenas o nódulo e uma “área de segurança” ao redor) alterou o formato e tamanho da minha mama direita.

Foi necessária também a extração de alguns gânglios, chamados linfonodos, localizados na axila, uma vez que estavam à mercê de serem corrompidos pelas células doentes.

Ao tornar da anestesia, cerca de quatro horas após o início da operação, me vi acompanhada pelos médicos, enfermeiros e, principalmente, da minha família.

Descabe mencionar a importância do apoio da família neste, assim como em todos os outros momentos, eis que, dada a minha fragilidade e dificuldades físicas, foram de necessidade imperiosa.

Com a cirurgia ganhei um dreno, que ficou pendurado ao meu corpo por quinze dias, necessário à remoção de líquidos ou possíveis infecções.

Precisei ainda fazer uso de um sutiã especial que manteve as mamas firmes, evitando qualquer alteração de formato além daquelas já vistas previamente. Embora aconselhada a utilizar durante um mês, tamanhas eram as dores que usei esse acessório por meses além.

No mês de outubro do ano passado, fiquei muito dependente. Além dos cuidados que agora relatei, precisei muito da ajuda (e paciência) para realizar atividades rotineiras, como tomar banho, escovar os dentes, pentear e amarrar os cabelos, me deslocar, carregar coisas, e era difícil até mesmo escrever, pois o braço não tinha mobilidade.

Hoje, contando para os amigos os momentos de dificuldade que passei há um ano, vejo o quão importantes são as comemorações ao Outubro Rosa. Uma mulher que consiga se conscientizar acerca dos cuidados com o próprio corpo, faz qualquer campanha valer a pena.

Cuidar-se faz de nós menos propensas a doenças, desde um simples resfriado até mesmo a um câncer. Ademais, o diagnóstico precoce aumenta muito as chances de um tratamento de sucesso.

Você, mulher, procure seu médico, deixe seus exames em dia, não apenas neste outubro rosa, mas em todos os outros meses do ano, e nunca esqueça, principalmente, de sempre se amar.

Francini Franco do Prado

francini.adv@hotmail.com |

Comentários