Incentivo ao comércio

14 de novembro de 2014

O jornal ACONTECEU tem abordado em suas matérias a questão da omissão do poder público municipal com relação aos investimentos de nosso empresariado em nossa cidade e que não encontram o necessário respaldo ou reconhecimento da administração local.

Realmente esse é um problema grave, que pode desincentivar o empreendedorismo no município e atrapalhar o nosso crescimento, pois são muitos os pontos positivos que uma nova empreitada comercial traz para sociedade.

Não se trata de incentivos fiscais, anistias, ou outra benesse de ordem tributária e nem sequer de um auxílio particular ou privado para a construção ou aumento do novo empreendimento, mas apenas de respeitá-lo, valorizá-lo e dar a necessária importância ao mesmo, agindo com atenção, diligência e eficiência, nos setores de sua própria competência administrativa.

Trocando em miúdos, basta ao poder público cumprir com suas obrigações para com o entorno do novo empreendimento, assegurando o acesso ao mesmo através de vias públicas decentes e transitáveis, iluminação pública, calçamentos, segurança e outros benefícios públicos.

Esses benefícios, não se  destinam exclusivamente ao investidor/empreendedor, pois facilitam a vida de todos, proprietários e usuários, não se podendo admitir que o acesso ao comércio, aos serviços, à indústria, ao lazer, ao esporte, ao divertimento e todas as outras atividades que aqui possam se desenvolver, seja limitado ou precário, pela falta de ação do poder público.

O fato é que o capital privado e o empresário fazem a sua parte, contribuindo com a sociedade e com o município, mesmo que seu interesse imediato seja o lucro pessoal, pois esse não é proibido, nem ilegal, nem imoral, pois estamos todos sob o regime capitalista e o que falta são os governos fazerem a sua parte.

Além da altíssima carga tributária, de todos empecilhos causados pela burocracia e a ineficiência estatal, ainda a nível municipal, o nosso empreendedor tem que enfrentar o descaso ou a ineficiência dos poderes públicos municipais.

Todos nós sabemos, que o ente federativo município é o menor e o mais fraco, mas sempre é possível ser mais presente e atuante nas demandas que lhe cabem.  Basta estar mais atento e interessado, tentando ajudar e a resolver com diálogo, criatividade e ação, todos os empecilhos que dificultam ou até impedem o sucesso dos novos empreendimentos.

Ficamos felizes, numa das edições passadas, quando o jornal noticiou a efetivação do programa Novo Centro, realizado pela Prefeitura Municipal no longínquo ano de 1996, em que se revestiram com camadas de asfalto inúmeras ruas de nosso centro comercial, tornando-o mais belo e acessível.

Na ocasião, um dos candidatos a prefeito, na eleição que aconteceu naquele ano, fez severas críticas ao programa, alegando que era um desperdício, pois as ruas já eram calçadas!

Talvez seja por isso que nada mais foi feito pelos que me sucederam, apesar de se passarem quase 20 anos.

A falta de visão e a insensibilidade são grave defeito, prejudicial a toda sociedade.

Argos Fayad

argosadv@gmail.com |

Comentários