Estado vegetativo. E agora?

12 de junho de 2015

Em março de 2005, Kira era uma típica jovem ativa, porém, quando tinha 20 anos, sofreu um acidente que resultou na perda da capacidade de movimentar os membros, de fazer contato visual e de falar.

Seus pais foram informados de que ela era um “vegetal” e que o melhor que eles poderiam fazer seria levá-la para casa e mantê-la confortável até que ela morresse.

Mas a jovem continuou a viver, apesar do diagnóstico.

Ela estava lá, não desde o início, mas por volta de dois anos depois de entrar no estado vegetativo, começou a acordar.

Ela tinha consciência de tudo, assim como qualquer pessoa normal. Todos estavam tão acostumados a sua ausência, que não perceberam quando ela começou a estar novamente presente.

Sua mente estava presa num corpo inútil, seus braços e pernas não estavam sob seu controle e sua voz estava muda. Ela não podia fazer um sinal ou emitir sons para alertar as pessoas que estava consciente outra vez.

Mas, de repente, começou a comunicar-se de novo e expandiu seu mundo: em 2010, conheceu o amor de sua vida e montou seu próprio negócio.

A história de Kira não é tão incomum quanto parece. Nos últimos anos, têm ocorrido muitos casos de pessoas diagnosticadas com “morte cerebral”, ou que supostamente estavam em “estado vegetativo”, e que mais tarde se recuperaram e revelaram que estavam plenamente conscientes do que acontecia ao seu redor.

Um jovem chamado Zach Dunlap revelou que estava plenamente consciente enquanto os médicos e seus familiares discutiam como doariam os órgãos dele. Apenas alguns momentos antes de ele ser levado à sala de operação para que seus órgãos fossem removidos, um membro da família colocou uma unha sob a unha do seu dedão do pé, causando uma reação inesperada. A cirurgia foi cancelada e Zach se recuperou.

Casos como esses estão alimentando um debate crescente sobre a precisão dos diagnósticos de “estado vegetativo” e “morte cerebral”.

Ora, o último inimigo que há de ser aniquilado é a morte. 1 Coríntios 15:26

Cristina Veloso Andreacci
CRM 12570 Titulo de especialista em Ginecologia/Obstetrícia Titulo de especialista em Ultrassom Titulo de especialista em Medicina Fetal Competência pela Fetal Medicine Foundation de Londres Cemmefe.com.br Apoio TV Novo tempo Canal 10 local e Sky 14
cemeffe@gmail.com | http://cemmefe.com.br

Comentários