Efeitos colaterais

26 de junho de 2015

Encarar a quimioterapia vai muito além de perder os cabelos. Apesar de ser informada previamente sobre as possíveis reações que os medicamentos podem trazer, somente com a realização dos ciclos é possível saber qual reação cada paciente terá, uma vez que depende muito de organismo para organismo.

O próprio paciente vai descobrindo aos poucos a nova rotina. As reações promovem uma adaptação dia a dia, pois a cada ciclo de quimioterapia vão surgindo efeitos colaterais diversos.

Além das náuseas, vômitos, diarreia, o paciente pode ter sangramentos, dificuldades para engolir, falta de apetite, alterações no paladar, feridas na boca, constipação intestinal e alterações sanguíneas que podem ocasionar manchas na pele, febre, palidez, falta de ar, cansaço e fraqueza.

Eu percebi logo os sinais negativos que meu corpo me mostrava. Logo após a aplicação dos medicamentos quimioterápicos, eu saía do setor oncológico com tonturas e enjoos que duravam algumas horas. O mal estar, parecido com o de uma gripe forte com dores no corpo e muita fraqueza, duravam uma semana.

Após alguns dias eu perdia o paladar e a boca ficava seca. Aprendi que o picolé de limão diminuía o enjoo e a sensação de secura na boca. Eu também passei a ter balas azedas comigo o tempo todo, inclusive na hora de dormir.

Eu tinha muita fome e me permiti comer de tudo, desde os aconselháveis vegetais e frutas, até alguns doces, como chocolate e sorvetes.

Com o término da fase “vermelhinha” da quimioterapia, que durou quatro ciclos, os efeitos colaterais como náuseas e diarreia, diminuíram. O cansaço e a fraqueza, apesar de ainda persistentes, já o são com menos intensidade. Já não precisei mais dos picolés de limão, mesmo porque, depois de três ou quatro por dia, eu passei a ter uma leve negação a eles (enjoei mesmo).

Nessa fase da quimio, com 12 ciclos, além do uso semanal de corticóides (que me deixam inchada), eu engordei. Eu tenho dificuldades na realização de exercícios físicos justamente pela constante sensação de fraqueza.

Além disso, outra reação negativa foi a alteração no ciclo menstrual, pois os medicamentos alteram a produção de hormônios, o que pode ocasionar, em alguns casos, a menopausa precoce.

Com a parada do ciclo menstrual, sofro com as famosas ondas de calor, chamadas de fogachos. São episódios súbitos de calor, que aparecem de repente, independente do horário do dia, e duram alguns minutos, com sensação de calor e suor no pescoço, rosto e peito, normalmente acompanhado de uma leve aceleração cardíaca.

A alteração hormonal resultou também em perda de memória, noites de insônia, alterações de humor e na pele.

Somente com o término do tratamento quimioterápico é que os efeitos colaterais se encerram e o ciclo menstrual se normaliza. E eu estou quase lá.

Francini Franco do Prado

francini.adv@hotmail.com |

Comentários