É ótima e ponto final

26 de agosto de 2016

Se você ainda não assistiu A Série (sim, com A e S maiúsculos) do momento, Stranger Things, pare tudo que você estiver fazendo. Agora. Pare de ler aqui e vá assistir porque você não sabe o que está perdendo. Tá, brincadeira, só termine de ler e depois vá assistir.

Stranger Things, ou “Coisas Estranhas” para quem preferir, é uma produção do serviço de streaming Netflix lançada em julho. A série, ambientada nos anos 1980 na cidade de Montauk, Long Island, traz a história do sumiço sinistro de Will Bayers, um garoto de 12 anos vivido por Noah Schnapp. A série de terror/ficção científica/mistério/drama/suspense/tudo de bom é estrelada por Winona Rider interpretando Joyce, mãe de Will, que juntamente com o policial local Jim Hopper (David Harbour), sai em busca do paradeiro do garoto misteriosamente desaparecido.

Porém, os amigos de Will: Mike (Finn Wolfhard), Lucas (Caleb McLaughlin) e Dustin (Gaten Matarazzo) não se conformam em esperar parados que o desfecho seja dado pelos adultos, e juntamente com Eleven (Millie Bobby Brown), garotinha encontrada por eles no último local em que Will teria estado, saem em busca de respostas sobre o caso.

Nancy Wheeler (Natalia Dyer), irmã mais velha de Mike, sai em busca de sua amiga Barbara, a Barb (Shannon Purser), que teve mais ou menos o mesmo destino de Will. Jonathan Bayers (Charlie Heaton), irmão do garoto, sai junto com Nancy em busca de explicações para o enigma dos dois desaparecidos. Mas vou parar por aqui. Não posso “spoilar”.

Escrita pelos irmãos Matt e Ross Duffer, a série é muito intrigante e em pouco tempo se tornou uma queridinha do público. E uma coisa muito legal é que a produção foi feita em formato 4K, vindo em uma qualidade “maravilinda” para as TVs mais moderninhas!

Mas muitas pessoas ainda insistem na hipótese dessa história ter sido planejada para fazer sucesso na Netflix. Teoricamente, a servidora teria feito uma pesquisa, quase como uma média do que as pessoas mais estavam assistindo, assim, poderia fazer uma trama que provavelmente agradasse a um público maciço. A confiança na série era tão grande que, mesmo antes de ser lançada a primeira temporada, um segundo contrato já estava assinado para produção da segunda.

Mas e daí? O fato é que recebemos mais uma história igualmente surpreendente e envolvente, e tudo que temos a fazer é curtir e aguardar ansiosamente o lançamento da segunda temporada. E que façam justiça à Barb (para entender tem que assistir)!

 

annajulia.reginato@yahoo.com.br

Beijos,
Anna

Anna Júlia Reginato
Tem 15 anos e meio e cursa o 2º ano do Ensino Médio, no Colégio Maria Augusta, de São Mateus do Sul.
anna@jornalaconteceu.com.br |

Comentários