Dilma X Aécio – O que vai dar?

24 de outubro de 2014

A eleição do próximo domingo promete ser a mais disputada dos últimos anos.

Os institutos de pesquisas mais conceituados apontam para uma vitória da presidente Dilma, embora os critérios indiquem um empate técnico pela margem de erro que existe em todas as sondagens eleitorais.

De outro lado, institutos menores apontam uma diferença substancial a favor do candidato da oposição, animando a todos que tem preferência por essa opção de voto.

Quem está correto, só vamos saber após a apuração da eleição e com a divulgação das novas pesquisas que devem ocorrer até lá.

O que se percebe, a partir da pesquisa Data Folha divulgada na segunda feira, dia 20, e nesta quarta, dia 22,  é um crescimento da popularidade do governo atual que demandou no aumento da preferência da candidata a reeleição.  Se os dados forem reais, isso demonstra uma tendência da última semana, que dificilmente poderá ser revertida.

Apurados os votos, virão as análises do resultado.

Os apoiadores da reeleição, garantirão que Dilma ganhou porque tem ótimos programas de governo, a maioria de alcance social, tais como o Luz Para Todos, que garante luz de graça para o meio rural, Bolsa Família que auxilia as famílias carentes com um pequeno auxílio em dinheiro mensalmente, Minha Casa Minha Vida, que proporciona a casa própria para milhões de brasileiros,  Prouni, e Fies, que dão oportunidade a milhares de jovens  de estudar e concluir seus estudos universitários, e do Pronatec, que forma mão de obra técnica especializada. Aliado a tudo isso, a baixa taxa de desemprego.

Se ganhar a oposição, a causa será  a inflação ameaçadora dos últimos meses, a grande corrupção que campeia no governo federal, o desgaste do PT e de sua maneira de governar,  os 12 anos consecutivos de uma forma de governo, o desejo de mudança, entre outras causas.

Como se vê, todo mundo terá razão, embora uma opção exclua a outra.

Isto significa, que as opções eleitorais, todas elas, têm pontos positivos e pontos negativos, e o que vai prevalecer, pouca gente sabe.

Em todas eleições, a campanha pouco vale.  A maioria tem uma opinião em cada ocasião e circunstância eleitoral, e quase não a muda no decorrer do período da propaganda.

Entretanto, basta observar o horário eleitoral e as inserções no rádio e televisão, para constatar o grande talento dos marqueteiros, com destaque para João Santana, autor da campanha da Dilma e que, segundo se noticia, já elegeu seis presidentes! Será que vai emplacar o sétimo?

Mas o que faz um bom homem de propaganda, para ser decisivo numa eleição? A meu ver, conhece muito bem o povo e seus medos e desejos. Tem a correta percepção do momento e em cima disso, vai batendo nas teclas certas e intensificando os pontos negativos dos adversários e exaltando os positivos do seu.

Ao abordar da forma correta o momento, com conhecimento e sensibilidade, passa a convencer boa parte do eleitorado, pois afinal, fazer política é persuadir a maioria.

Argos Fayad

argosadv@gmail.com |

Comentários