Copa, Requião e outros

03 de julho de 2014

Finalmente começou a Copa e o chamado “padrão Fifa”, com um show de imagens e de cores, além de excelentes e bem disputadas partidas para quem gosta do esporte.

Aos poucos, todos os brasileiros, ou a imensa maioria, vão percebendo que a Copa do Mundo é apenas um evento esportivo de porte mundial e que traz muito mais alegria e coisas positivas do que desvios e corrupção.

Para os negativistas de sempre, eu pergunto: se em vez de estádios estivéssemos construindo hospitais e escolas, não haveria superfaturamento ou desvios? Todos sabem que o problema não está no tipo de obra, mas na índole de quem controla o dinheiro.

O espetáculo do futebol é grandioso e magnífico e a realização do maior evento esportivo do planeta em nosso país, com a vinda de mais de 600 mil turistas estrangeiros e os vultuosos investimentos realizados, trarão grandes benefícios à nossa economia.

Diversas vezes já tratei do assunto turismo aqui nesta coluna, e parece que ainda não se dá a importância devida ao mesmo, pois poucas são as ações municipais nesse sentido, apesar do imenso “acervo” turístico que possuímos.

É hora de acordar, sair um pouco da casca e ver o mundo ao seu redor e o comportamento das pessoas, com um contingente cada vez maior de gente querendo passear, se divertir e gastar o seu dinheiro.

O PMDB realizou sua convenção estadual, e para surpresa e decepção de muitos, mais uma vez, Requião será candidato ao governo, vencendo o grupo de deputados que se agarrou ao governo Beto e não queria se desgrudar de jeito nenhum.

A origem e a ideologia venceram o fisiologismo. Com Requião no páreo, com seu estilo aguerrido e que não tem papas na língua, a disputa fica mais animada, com Beto fazendo novamente o papel de “bom moço” e Gleisy Hofmann como a novidade e sua condição de mulher.

Veremos o que vai motivar mais o eleitor, a abertura econômica e o deixar acontecer do Beto ou as políticas sociais de Requião e do PT.

Hoje nos jornais, vejo que a vizinha Lapa ganhará mais uma indústria importante. É a Electrolux, fabricante mundial de eletrodomésticos, com investimentos de R$ 250 milhões e geração de 800 empregos diretos.

Fica a pergunta, o que que a Lapa tem que “eu” não tenho?

Argos Fayad

argosadv@gmail.com |

Comentários