Como posso conviver com a ansiedade?

18 de setembro de 2015

Esta é uma queixa muito frequente no consultório. É cada dia mais presente em nosso convívio diário.

Angústia ou ansiedade é a falta de paz interior. Surge como uma sensação de bolo na garganta, aperto no peito e nervosismo. O que fazer com ela?

A pessoa angustiada precisa descobrir o que a perturba e identificar o problema. Se encontra vários problemas, tente ver qual o pior. Se não acha a causa, por mais que pense, e a ansiedade permaneça muito perturbadora, prejudicando o trabalho e contato social, pode ser preciso ajuda profissional temporária.

Definindo qual o pior problema, o passo seguinte é agir para resolvê-lo. Se não tiver solução porque não depende só de você, a saída é aceitar a perda. Aceitar não é concordar com o fato. É olhar a realidade e concluir: Isto ocorreu em minha vida e não posso fazer nada para mudar. Daí volte-se para outras coisas em sua vida e siga adiante. Aceitar a impotência liberta — esse é o meu principal conselho como amiga da paciente.

Todos temos perdas. Não podemos ganhar tudo nesta vida. Mas estar vivo é maravilhoso. Ter dores é realmente ruim. Entretanto, pense: o que é bom passa, mas o que é ruim, também passa.

Evite se concentrar na dor. Comece a PENSAR no que dá para fazer. Pense em coisas construtivas para achar saídas para seu sofrimento.

Não fique lamentando ou falando de sua dor para as pessoas. Pare de ter pena de si e do papel de vítima. Sendo adulto é possível pensar, não precisando negar a dor, mas também não precisando ser dominado por ela. Não vem dor maior do que nossa capacidade de lidar com ela. Você é maior do que sua dor.

Já a expressou o suficiente? Já chorou o suficiente? Já a verbalizou o suficiente para alguém confiável, ético e que ouviu com empatia? Então, agora é hora de parar de chorar, de lamentar, de ficar falando para as pessoas sobre sua dor. Agora é hora de cuidar de si mesmo com serenidade, aceitação, humildade, perseverança e esperança de melhores dias, pelo menos dentro de você.

Aquele que aprendeu a lidar com sua angústia, aprendeu o mais importante.

Cristina Veloso Andreacci
CRM 12570 Titulo de especialista em Ginecologia/Obstetrícia Titulo de especialista em Ultrassom Titulo de especialista em Medicina Fetal Competência pela Fetal Medicine Foundation de Londres Cemmefe.com.br Apoio TV Novo tempo Canal 10 local e Sky 14
cemeffe@gmail.com | http://cemmefe.com.br

Comentários