As outras imigrações

29 de agosto de 2014

Republicação de coluna semanal, que foi publicada no jornal ACONTECEU entre 2009 e 2011

São Mateus do Sul não foi construída apenas pela imigração polonesa. Várias outras etnias estabeleceram-se no município, contribuindo para o seu desenvolvimento. Entre os tantos estabelecimentos comerciais que fizeram parte da história da cidade, alguns tiveram estrangeiros ou descendentes à sua frente.

Um bom exemplo é o da Casa Amazonas, que ficava na rua Evaldo Gaensly, dirigida por uma família de origem síria. O senhor José Fayad e o filho Rachid tiveram sucesso com seu negócio de secos e molhados, entre os anos 1930 e 1960. Era mais uma das vendas que comercializavam produtos de quase todos os gêneros. Na época, era comum os consumidores fazerem compras por meio da caderneta, e a sua cobrança coincidia com o tempo da safra da erva-mate Aliás, as vendas também compravam erva-mate e madeira direto dos produtores.

Já entre os de origem libanesa, tivemos Elias Sarraff e seu filho Saleme. Ambos foram proprietários de negócios do mesmo tipo. Inclusive, Elias teria sido dono da primeira linha telefônica da cidade, do primeiro cinema, e tinha duas serrarias no interior.

casa-amazonas

Casa Amazonas, da família Fayad (créditos da foto à Revista do Cinquentenário da Navegação)

elias-sarraff

Estabelecimento comercial de Elias Sarraff

saleme-sarraff

Casa comercial de Saleme Sarraff

531naquele2

Elias Sarraff, esposa e filhos

 

José Nelson Chaves de Souza

jnelson.souza@gmail.com |

Comentários