Às margens do Rio Vístula, o majestoso Estádio Nacional

22 de janeiro de 2015

Em meio a construções e arranha-céus modernos, e ainda a restaurações barrocas, destaca-se, na Polônia, o maravilhoso Estádio Nacional, que em Varsóvia tem um significado especial para os poloneses.

O estádio anterior foi erguido a partir dos escombros produzidos pelos bombardeios nazistas durante a repressão ao levante de Varsóvia, na Segunda Guerra Mundial. Era, por isso, um monumento para recordar a destruição, um imponente estádio elevado. Além disso, ele se localizava no ponto onde o exército russo fez uma parada em sua marcha para Varsóvia, a fim de esperar a repressão do levante e em seguida marchar sobre o Rio Vístula e ocupar a cidade.

Exatamente no lugar do estádio antigo deveria ser construído o novo, sob a condição de não tocar no primeiro edifício. Um escritório de arquitetura ganhou a concorrência para construir o novo estádio ao antigo, como uma coroa. Em 2008 foi dado início e em novembro de 2011 concluído, entorno da arena que lembra uma cesta trançada nas cores nacionais da Polônia, branco e vermelho. O estádio fica iluminado à noite, majestoso do lado do Rio Vístula. É uma coroa da cidade, construída sobre a base da história.

O estádio tem uma capacidade de 58.145 lugares sentados, o que faz dele o maior palco de futebol na Polônia. A sua construção é moderna. Encontra-se situado no local do antigo Estádio do 10º Aniversário (Stadion Dziesieciolecia), na Aleja Zieleniecka, na zona de Południe, perto do centro da capital polaca do outro lado Rio Vístula. O estádio está dotado de um teto retrátil único na sua espécie, feito em PVC e que se desdobra a partir de um ninho numa agulha suspensa sobre o centro do gramado. O teto retrátil é semelhante ao do Commerzbank-Arena em Frankfurt, Alemanha.

O responsável por projetar o estádio projeta estádios de futebol no mundo inteiro, inclusive no Brasil. O arquiteto alemão Volkwin Marg afirma que eles são espaços de encenação ideológica, erguidos para simbolizar um time ou uma nação.

Untitled-3

Everaldo Karpinski Kotrich

eve-ko@hotmail.com |

Comentários