Suspensão de rodeio repercute e divide opiniões

11 de setembro de 2015

Corpo de Bombeiros e Judiciário entenderam que irregularidades colocariam em risco a segurança dos frequentadores; prefeito fala em conflito de interesses e organização lamenta à população

 

DSC_1758Estrutura já estava praticamente pronta quando ordem judicial decidiu pela suspensão do evento (fotos: jornal ACONTECEU)

 

O cancelamento do 1º Circuito Country de Rodeio, que seria realizado entre os dias 4 e 7 de setembro no Parque Municipal de Exposições de São Mateus do Sul, repercutiu e dividiu opiniões. Enquanto muitos lamentaram a suspensão de um evento de grande porte, encarado como o principal do mês de aniversário do município, outros refletiram para a prevenção de riscos, imediatamente fazendo alusão à tragédia da Boate Kiss, em Santa Maria (RS), que matou mais de 200 pessoas no ano de 2013.

O evento, que previa provas de rodeio, show pirotécnico e apresentações de vários artistas, foi suspenso pouco antes da abertura dos portões, por determinação do juiz André Olivério Padilha, que acolheu ação civil pública instaurada pelo Ministério Público, por causa da não liberação do certificado de vistoria para ocupação e instalação temporária. Na vistoria, o Corpo de Bombeiros afirma ter encontrado uma série de irregularidades em questões de segurança, e mesmo providências tomadas posteriormente pela organização não conseguiram a liberação do judiciário, então no plantão do juiz Gabriel Ribeiro de Souza Lima, que suspendeu em definitivo o evento entendendo haver risco à integridade física dos frequentadores.

Em coletiva de imprensa realizada no sábado (5), o comandante regional do Subgrupamento do Corpo de Bombeiros, capitão Meira, e o comandante da Seção de São Mateus do Sul, tenente Everton, se pronunciaram a respeito do trabalho dos bombeiros na situação. Segundo eles, a apresentação do projeto e o pedido de vistoria extrapolaram os prazos determinados para eventos de médio risco, como era o caso, e a vistoria ocorreu apenas no último dia útil, quando foram constatados problemas na iluminação, em extintores, hidrantes, fogos de artifício e presença de itens inexistentes no projeto, como o parque de diversões, que impediram a liberação.

Os bombeiros defenderam que as vistorias devem ser minuciosas, pelo fato de as pessoas confiarem que, havendo a certificação, elas terão segurança no evento. “Muitas vezes não se dá a devida atenção à cultura prevencionista, mas nós não começamos a cobrar isso ontem. Muitas vezes as pessoas que organizam não veem, mas nós devemos identificar os mínimos detalhes que podem causar risco”, disse o capitão Meira. “Nossa única obrigação é prover segurança para os participantes”.

Por outro lado, as circunstâncias que culminaram na suspensão não agradaram o prefeito de São Mateus do Sul, Clóvis Ledur. Um vídeo que circulou amplamente pelas mídias de grupos sociais e também na televisão regional mostra o prefeito discutindo com os bombeiros no quartel, bastante exaltado. Nas imagens, ele acusa que a corporação procurou problemas com a intenção de suspender o evento e se diz decepcionado. À reportagem, Ledur diz que a Prefeitura apenas locou o espaço, mas o interesse era que o evento ocorresse pelo entretenimento para a população. Reiterou, ainda, que havia chegado até ele a informação de que o evento seria impedido de acontecer propositalmente. “O que eu vejo é que está ocorrendo um conflito de interesses entre os promotores de eventos locais, alguns inclusive que são contrários à cessão do Parque de Exposições para a realização de qualquer outro evento que não seja a Expomate. Sei que o Ministério Público, assim como a Ouvidoria da Prefeitura, recebeu denúncias para impedir a realização do evento”, declara. Sobre seu comportamento com os bombeiros no momento registrado em vídeo, o prefeito diz que foi uma reação à situação que se criou. “Não faltei com respeito, apenas externei minha indignação, pois, pelos acontecimentos, os interesses particulares se sobrepuseram aos interesses da população”.

A reportagem ainda conversou com o promotor de Justiça Pedro Paulo Martins, atualmente substituindo a promotora Fernanda Basso Silvério, que informou que a situação foi apresentada pelo Corpo de Bombeiros e o Ministério Público já tinha ciência da questão há dias. “A doutora Fernanda aguardou vários dias para entrar com a ação de interdição. A ideia era que os requisitos de segurança apontados pelos bombeiros fossem cumpridos e não que o evento fosse cancelado. O Ministério Público estava ciente da importância do evento, como entretenimento para o público, mas a segurança é primordial”, diz.

Para os organizadores do evento, após a turbulência, o momento é de superar tudo o que passaram e pensar em novos projetos. Questionados sobre o que teriam a dizer sobre o ocorrido, responderam sem pensar muito: “Apenas lamentamos. Lamentamos ao público de São Mateus do Sul, a quem esse evento foi destinado, além das tantas pessoas de fora que também planejavam prestigiar”, resumem Elton Pires de Paula e Lauro Niespodzinski, da Fiduma Produções. Eles dizem que tinham conhecimento das questões de segurança e tentaram cumprir com as exigências. “Tínhamos dois engenheiros do nosso lado nos dando suporte e fomos atendendo a tudo que era solicitado”, lamentam.

A Fiduma Produções divulgou uma nota sobre o ocorrido e adianta irá promover outro evento do gênero, que em breve terá data e atrações divulgadas.


NOTA DA FIDUMA PRODUÇÕES

Nós, da Fiduma Produções, gostaríamos de vir a público pedir desculpas a toda a população de São Mateus do Sul e cidades vizinhas pelo fato ocorrido no final de semana, quando estava marcado o 1º Circuito Country de Rodeio, nos dias 4 a 7 de setembro.

Depois de alguns dias passados, resolvemos quebrar o silêncio e de maneira respeitosa pedimos desculpas. A festa, que estava programada para acontecer no Parque Municipal de Exposições, contava com mais de dez artistas e muitas atrações, e por determinação do Ministério Público foi cancelada. O evento foi organizado, sonhado e idealizado por empresários daqui de São Mateus do Sul, um evento que desde o início foi pensado na população, como forma de presentear a todos, sem exceção.

Desde o início, a Fiduma procurou contratar bons artistas, boas atrações e sempre prezou pela segurança dos espectadores, e, mesmo com os inúmeros pedidos dos órgãos competentes, incansavelmente tentou seguir toda e quaisquer exigências. As tentativas de fazer o evento acontecer chegaram à exaustão. Apenas a boa vontade dos organizadores não foi suficiente.

Nosso silêncio nesses últimos dias foi de dor e respeito. A dor de idealizar e não conquistar e o respeito por todas as pessoas que estavam contando e se preparando para um evento de tamanha proporção. Precisamos salientar também que a Fiduma é uma empresa particular, sem cunho político ou partidário, e ficamos realmente entristecidos pelo desfecho que sucedeu.

Como todos sabem, sendo um evento particular e com tamanha proporção, os gastos são muitos. Embora sejam grandes, podem ter certeza que o carinho e o respeito que temos por todos vocês que já prestigiaram e irão prestigiar nossos eventos, são combustíveis para que possamos continuar sonhando, idealizando e buscando realizar outros eventos.

Mais uma vez, gostaríamos de pedir desculpas a todos pelos transtornos e agradecer a todas as pessoas que, direta ou indiretamente, apoiaram e ajudaram para que o evento fosse realizado, o que infelizmente não aconteceu. Também agradecemos a equipe Cesar Paraná de Rodeios, que deu muito apoio.

 

Comentários

Leia também:

Prefeito, vice e vereadores tomam posse em Antonio Olinto

Posse em Antonio Olinto

02 de janeiro de 2017

sem-titulo-1

Retrospectiva 2016

23 de dezembro de 2016