São Mateus ocupa 13ª colocação entre cidades paranaenses com melhor gestão fiscal

26 de junho de 2015

Índice Firjan de Gestão Fiscal, que avalia comportamento dos municípios na alocação dos recursos, mostra que poucos estão com boa situação financeira

 

837firjan1Capital do xisto obteve conceito B (bom), com índice 0.7166 (foto: jornal ACONTECEU)

 

São Mateus do Sul foi um dos poucos municípios que se saíram bem no último Índice Firjan de Gestão Fiscal, divulgado na semana passada com dados referentes a 2013. Elaborado pela Federação das Indústrias do Rio de Janeiro (Firjan), o índice avalia o comportamento dos municípios brasileiros na alocação de recursos, determinando notas que vão de 0 a 1 e conceitos que vão de ruim (D) a excelente (A). Com índice 0.7166, a Capital do Xisto obteve conceito B (bom), obtendo a 13ª melhor posição no Paraná.

Com base na proposta de construir uma análise da receita e gestão das despesas correntes dos municípios, o estudo utiliza cinco indicadores — receita própria (capacidade de arrecadação); gastos com pessoal (grau de rigidez do orçamento); investimentos (capacidade de investir); liquidez (suficiência de caixa); e custo da dívida (despesas de juros e amortizações) — cujos desempenhos individuais também foram divulgados. Conforme os dados, São Mateus do Sul obteve conceito máximo (A) em liquidez, conceito B em gastos com pessoal e custo da dívida, e conceito C em receita própria e investimentos. Além do 13º lugar no Estado, a cidade está em 134º lugar no País.

O porcentual de prefeituras bem avaliadas no Paraná representa apenas um quarto do total (25,6%) — o IFGF paranaense médio foi de 0.5286. Mas o desempenho do Estado ainda é melhor do que a média nacional, que é de 0.4545, com apenas 15,8% das 5,2 mil prefeituras em boa situação. O índice alcançou seu menor nível desde o início da série, em 2006. Para a Firjan, houve desaceleração das receitas e aumento de gastos com pessoal, reduzindo investimentos e sendo determinante para a deterioração das contas públicas municipais. “A situação das contas municipais preocupa. A dependência das transferências é crônica e o comprometimento com as despesas de pessoal cada vez maior, deixando as prefeituras a mercê da conjuntura econômica e política”, destaca a Federação na publicação do IFGF 2015.

Cabe ressaltar que, tendo como ano-base 2013, o índice não alcança o período atual da crise econômica nacional, que hoje está em maior proporção, e as reduções mais significativas em repasses, como do Fundo de Participação dos Municípios (FPM) e royalties, que podem representar uma situação mais delicada atualmente.

837firjanDados: Firjan

 

Antonio Olinto e São João do Triunfo

Nas cidades vizinhas de Antonio Olinto e São João do Triunfo, o quadro é menos positivo. Antonio Olinto ficou na 151ª posição no Estado e obteve conceito C (razoável), com IFGF 0.5536 e situação mais preocupante no indicador de receita própria, considerado ruim. São João do Triunfo ficou na mesma média do conceito C, com índice 0.5053, 224º lugar no Paraná e menor desempenho também no indicativo de receita própria.

Comentários

Leia também:

Prefeito, vice e vereadores tomam posse em Antonio Olinto

Posse em Antonio Olinto

02 de janeiro de 2017

sem-titulo-1

Retrospectiva 2016

23 de dezembro de 2016