São-mateuenses aderem às manifestações de 13 de março

18 de março de 2016

Cerca de 150 pessoas se reuniram no Chimarródromo, em apoio ao movimento nacional e também para diálogo sobre valores

 

DSC_1042Fotos: jornal ACONTECEU

 

As manifestações que ocorreram no último domingo, 13 de março, em todo o Brasil, principalmente contra o governo da presidente Dilma Rousseff, chegaram também a São Mateus do Sul. Cerca de 150 pessoas, entre adultos e crianças, reuniram-se na praça do Chimarródromo a partir das 15h.

Ao contrário das manifestações anteriores realizadas na cidade, desta vez não ocorreu passeata. A concentração se deu durante todo o tempo na praça, de forma tranquila, onde os participantes demonstraram suas insatisfações por meio de conversa e troca de ideias. O diálogo só foi interrompido no momento em que foi entoado o Hino Nacional.

Vestindo as cores da bandeira brasileira, como a maioria dos participantes, a professora Waleska Brasil manifestou repúdio ao andamento do atual governo e apoio ao movimento nacional que pede o impeachment da presidente Dilma Rousseff. “O Brasil não aguenta mais. Nós queremos mudança e um basta na corrupção”, expressa. Para ela, a adesão aos protestos funciona como maneira de pressionar e mostrar indignação. “Você vê muita gente reclamando, insatisfeita com a situação do país, mas que acaba se acomodando com a situação para não se incomodar, e não é assim que as coisas vão mudar”.

A concentração também contou com a presença de alguns empresários, em apoio a uma campanha da Federação das Associações Comerciais e Empresariais do Estado do Paraná (Faciap), que protesta contra os casos de corrupção no país e na defesa de valores morais acima de interesses particulares. Uma grande faixa foi estendida nas proximidades, destacando as palavras respeito, responsabilidade, transparência, ética e justiça. Segundo o vice-presidente da Faciap – Região Centro-Sul, Wilceu Kotrich, o movimento foi apartidário e voltado para a reafirmação desses valores na consciência da sociedade. “Não somos contra algo ou alguém. Somos a favor desses valores dentro das empresas, da sociedade e da política”, enfatiza. “Todo ser humano erra e não queremos forçar ninguém a nada, mas tendo esses valores teremos pessoas melhores, conscientes, críticas”.

Os números totais das manifestações pelo Brasil tiveram grande variação considerando a interpretação dos organizadores e da Polícia Militar, mas foi o maior em relação aos protestos realizados no ano passado e atingiram mais de 300 municípios. Em algumas cidades, também houve movimentos de apoio ao governo.

 

Comentários

Leia também:

Prefeito, vice e vereadores tomam posse em Antonio Olinto

Posse em Antonio Olinto

02 de janeiro de 2017

sem-titulo-1

Retrospectiva 2016

23 de dezembro de 2016