Ramal ferroviário que poderia passar por SMS está entre os últimos a serem analisados

21 de novembro de 2014

Extensão de ferrovia até o litoral, cujo traçado poderia incluir São Mateus do Sul, está entre os últimos estudos que serão licitados pelo governo federal

trilhos5

O projeto da construção do novo ramal ferroviário da Ferroeste, que objetiva cruzar o Paraná do Noroeste ao Leste, deve demorar mais do que se esperava para ser desenvolvido. O traçado que passa por cidades vizinhas como Lapa, Irati, Palmeira e Porto Amazonas, e que lideranças locais vinham tentando incluir também São Mateus do Sul, ficou para o último pacote de estudos de viabilidade que estão sendo feitos pelo governo federal. A informação é do Ministério dos Transportes, divulgada na última semana pelo jornal Gazeta do Povo.

Pela programação do governo federal, seis estradas de ferro já estão com o Procedimento de Manifestação de Interesse (PMI) em andamento. São eles: Sapezal (MT) a Porto Velho (RO); Anápolis (GO) a Corinto (MG); Corinto a Guanambi (BA); Açailândia (MA) a Barbacena (PA); Estrela D’Oeste (SP) a Dourados (MS); e Sinop (MT) a Miritituba (PA).

O segundo grupo de ferrovias conta com os trechos Corinto a Campos (RJ); Manoel Vitorino (BA) a Feira de Santana (BA); Chapecó (SC) a Rio Grande (RS); e Panorama (SP) a Chapecó, passando por Guarapuava. Este trecho corta o Paraná de norte a sul, mas não alivia o escoamento da produção do Centro-Oeste do país pelo Porto de Paranaguá.

Somente na terceira leva de projetos é que está previsto o andamento do processo de estudos do corredor ferroviário paranaense, juntamente com os trechos de Feira de Santana a Recife (PE); Feira de Santana a Parnamirim (RN); e Correntina (BA) a Uruaçu (GO). Os dois últimos grupos, com oito ferrovias no total, não têm data para publicação.

Com o processo em aberto, os estudos levam pelo menos seis meses para serem concluídos e, depois disso, são submetidos ao Tribunal de Contas da União (TCU). Com isso, os primeiros trechos serão licitados, na melhor das hipóteses, no segundo semestre de 2015.

Esta nova ligação ferroviária planejada para o Estado vai de Maracaju, ainda no Mato Grosso do Sul, até Paranaguá, no litoral paranaense, levando a produção do Oeste e de parte do Noroeste do Paraná, além das safras sul-mato-grossenses, mato-grossenses e paraguaias.

Em novembro do ano passado, o prefeito de São Mateus do Sul, Clóvis Ledur, e o secretário municipal de Indústria e Comércio, Renato Possebon, fizeram contato com a Empresa de Planejamento e Logística (EPL) e retornaram afirmando que o município estaria se articulando para incluir São Mateus do Sul no novo traçado de estrada de ferro. Sem muitas conclusões, a reunião havia sido apenas um primeiro contato. Questionado esta semana pela nossa reportagem, o prefeito Ledur disse que ainda não há novidades a respeito, e que a ferrovia na cidade depende de haver demanda de produtos a transportar. “A concessão haverá desde que alguma empresa se interesse e a região proporcione material para o transporte”, diz.

Foto: Divulgação

Comentários

Leia também:

Prefeito, vice e vereadores tomam posse em Antonio Olinto

Posse em Antonio Olinto

02 de janeiro de 2017

sem-titulo-1

Retrospectiva 2016

23 de dezembro de 2016