Ponte sobre o rio Canoas segue interditada

18 de julho de 2014

Prefeitura fez uma abertura lateral que serve como extravasor, e deve levar mais 2 ou 3 semanas para concluir obra emergencial

DSC_0749

Desde o protesto de moradores que fechou a ponte sobre o rio Canoas, no dia 21 de junho, a passagem pelo trecho segue interditada enquanto a Prefeitura executa obras emergenciais para aumentar a vazão da água sob a ponte — o que deve levar cerca de duas ou três semanas.

A obra, na altura da rua Desembargador Joaquim Ferreira Guimarães, na vila Prohmann, foi providenciada para evitar que a ponte — construída com passagem de água inferior ao que era antes — colabore por novos alagamentos no caso de uma nova enchente, como ocorreu no mês passado.

A medida, de caráter provisório e tomada a partir da reivindicação dos moradores atingidos pelo transbordamento do rio, consiste na instalação de tubos de concreto com diâmetro de um metro — os chamados “ladrões” — para aumentar a passagem de água. Pouco mais de três semanas depois da decisão, a Prefeitura realizou uma abertura na lateral da ponte, como extravasor, e aguarda a chegada das manilhas para instalação. “Devemos concluir entre duas ou três semanas. Estipulamos um tempo de 40 a 60 dias para a obra”, informou, esta semana, o secretário de Obras, Albari Rodrigues da Rosa.

DSC_0765

Fotos: jornal ACONTECEU

Comentários

Leia também:

Prefeito, vice e vereadores tomam posse em Antonio Olinto

Posse em Antonio Olinto

02 de janeiro de 2017

sem-titulo-1

Retrospectiva 2016

23 de dezembro de 2016