Palmeira deve receber maior aeroporto de cargas da América Latina

14 de novembro de 2014

Projetado pela Companhia Aeroportuária Campos Gerais (CACG), aeroporto está em fase de licenciamento ambiental e deve abrigar em sua área de domínio o chamado Porto Seco e indústrias não poluentes, em área de 50 km²

Untitled-2

Um projeto grandioso deve ter a pequena cidade de Palmeira, a 74 quilômetros de São Mateus do Sul, como palco, nos próximos anos. Na região de Colônia do Lago, próximo à divisa com Ponta Grossa, vai ser construído o Aeroporto Internacional dos Campos Gerais, projeto da Companhia Aeroportuária Campos Gerais (CACG) que promete o maior terminal de cargas e passageiros da América Latina.

Segundo a companhia, a instalação do aeroporto vem com a finalidade de impulsionar o desenvolvimento regional (do Paraná) e nacional, equipando o Brasil com um aeroporto de cargas e de passageiros à altura das necessidades de desenvolvimento do País, gerando milhares de empregos, além de impulsionar a economia do Paraná e de toda a região onde está inserido, colocando produtos paranaenses e brasileiros na lista do comércio e da indústria internacional. A proposta vinha sendo discutida praticamente em sigilo com as administrações da região nos últimos meses, com poucas informações divulgadas, mas se tornou pública efetivamente com a apresentação do projeto, pela CACG, em audiência pública realizada na Câmara Municipal de Palmeira, no mês de outubro.

De acordo com a companhia, o projeto já tem a aprovação da Agência Nacional de Aviação Civil (Anac) e segue agora neste mês de novembro para a fase final de licenciamento ambiental. O projeto aposta numa área total de 50 quilômetros quadrados, com o chamado Porto Seco e também indústrias não poluentes, projetado, para um tráfego de 750 mil pousos e decolagens por ano.

Conforme apresentado, o aeroporto terá quatro pistas de operação simultânea para pousos e decolagens, com 3,5 quilômetros de extensão cada. O empreendimento será feito em quatro etapas, sendo duas pistas implantadas na primeira etapa juntamente com os sistemas de segurança, pátios de estacionamentos das aeronaves, armazéns e hangares para todo o tipo de cargas e um terminal de passageiros para atender à demanda inicial.

A operação de carga será integrada entre aérea, rodoviária e ferroviária, considerando a proximidade com duas rodovias — BR 376 e PR 151 —, além da estrada de ferro que liga Curitiba a Ponta Grossa. A localização é considerada estratégica.

Uma nova audiência pública em Palmeira está programada para o dia 26 de novembro, convocada pelo Instituto Ambiental do Paraná (IAP), quando serão apresentados os estudos de impacto ambiental do empreendimento.

Fotos:Divulgação

PT_Audiência-aeroporto-Palmeira

Audiência apresentou projeto à população

 

Comentários

Leia também:

Prefeito, vice e vereadores tomam posse em Antonio Olinto

Posse em Antonio Olinto

02 de janeiro de 2017

sem-titulo-1

Retrospectiva 2016

23 de dezembro de 2016