Movimentos sindicais pedem cancelamento do título de Cidadão Honorário de Paulo Roberto Costa

06 de março de 2015

Requerimento chegou à Câmara Municipal, que, se considerar proposta, pode apresentar projeto para revogar a lei em questão

-Paulo-Roberto-Costa-size-598

Os vereadores têm em suas mãos uma questão um tanto conflituosa para resolver. Considerar ou não o cancelamento do título de Cidadão Honorário de São Mateus do Sul concedido em 2010 ao ex-diretor de Refino e Abastecimento da Petrobras, Paulo Roberto Costa. A iniciativa foi proposta à Câmara por movimentos sindicais de atuação em São Mateus do Sul, com base no envolvimento de Costa nos escândalos na Petrobras investigados pela Operação Lava-Jato.

O título de Cidadão Honorário foi dado a Paulo Roberto Costa oficialmente no dia 21 de junho de 2010, sob a lei 1.960/2010, originada em projeto do vereador Omar Picheth, aprovada pela Câmara e sancionada pelo então prefeito, Luiz Adyr Gonçalves Pereira. O Legislativo levou em conta o intermédio do então diretor da Petrobras em convênios que levaram asfalto à vila Bom Jesus e à localidade de Paiol Grande, além de colaborar pelo projeto de ampliação do Hospital e Maternidade Doutor Paulo Fortes e pela sobrevida da Unidade Protótipo Irati (UPI), que atualmente está hibernada.

O requerimento é assinado pelo Sindicato dos Trabalhadores Rurais de São Mateus do Sul, Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias de Montagem, Manutenção e Prestação de Serviços nas Áreas Industriais (Sindimont PR), Sindicato dos Trabalhadores dos Correios (Sinticom), Sindicato dos Vigilantes PG SMSul, Sindicato dos Petroleiros do Paraná e de Santa Catarina (Sindipetro PR/SC) e Partido dos Trabalhadores (PT). As entidades justificam o requerimento dizendo que, à época, os vereadores não estavam equivocados em conceder o título, pois “nem tudo pode ser sabido em tempo real”, mas que hoje é necessário evitar que os cidadãos de São Mateus do Sul sejam tidos como “cúmplices de corruptos e corruptores que têm denegrido a imagem e a grandiosidade da Petrobras […]”.

Rui Rossetim, que assina em nome do Sindipetro e do PT, diz que o ofício não representa uma acusação contra Costa, mas um desagravo dos cidadãos que não compactuam com corruptos e hoje se veem de alguma forma incluídos na corrupção. “Entendemos não mais ser possível para São Mateus do Sul ostentar este título de Cidadão para Paulo Roberto Costa, considerado hoje o ícone desta corrupção. Esperamos que a Câmara Municipal atenda ao apelo popular. O nosso posicionamento, além de tirar este peso dos nossos ombros, abre ampla discussão sobre o que o Brasil, o Paraná e especialmente o que São Mateus do Sul quer para agora e para a posteridade”.

De acordo com o presidente da Câmara, Enéas Melnisk, o cancelamento é possível, na forma que um vereador apresente um projeto de lei para revogar a lei que concedeu o título. Segundo ele, manifestações iniciais no Legislativo dão conta de que é possível que o projeto seja aceito pela maioria, mas ninguém ainda entrou com a proposta. “Isso vai gerar uma enorme discussão, pois são muitas questões para considerar”.

A reportagem tentou entrar em contato com o vereador Omar Picheth em busca de sua opinião sobre o pedido dos sindicalistas, mas não obteve sucesso nas tentativas telefônicas, realizadas na terça e na quarta-feira (3 e 4 de março).

Foto: Divulgação

Comentários

Leia também:

Prefeito, vice e vereadores tomam posse em Antonio Olinto

Posse em Antonio Olinto

02 de janeiro de 2017

sem-titulo-1

Retrospectiva 2016

23 de dezembro de 2016