Incepa faz demissões em massa

22 de julho de 2016

Crise nacional atinge construção civil, tirando empregos dos funcionários da empresa de cerâmica de São Mateus do Sul e Campo Largo

 

IMG_8429

Foto: jornal ACONTECEU

 

O mercado de trabalho de São Mateus do Sul foi novamente atingido com a demissão em massa em uma das empresas de maior expressão na cidade e região. A Incepa, fabricante revestimentos e cerâmicas, realizou cortes consideráveis em sua folha de pagamento, com a rescisão de 41 funcionários, na fábrica de São Mateus, e aproximadamente 50 outras demissões em Campo Largo.

Apresentando problemas financeiros desde 2015, a Incepa recorreu a diversas medidas legais para evitar cortes efetivos desde fevereiro. As ações incluem suspensão temporária de contratos de trabalho (layoff) e redução de jornada (sem afetar férias, 13º e outros benefícios), o que garantiu a permanência de alguns funcionários na empresa até agora.

As medidas aplicadas pela Incepa não surtiram efeito significativo, perante as dificuldades que envolvem o setor de construção civil no país.

O problema da empresa ainda foi agravado por outro fator alarmante. De acordo com o presidente do Sindicato dos Trabalhadores nas Indústrias para Construção de Pisos, Azulejos, Refratários e Similares de Campo Largo e São Mateus do Sul (Sindipiso), Paulo Ferreira, o anúncio das demissões deve-se principalmente ao impacto sentido após o término do fornecimento de material para uma empresa dos Estados Unidos. “Frente ao encerramento do contrato, o corte de funcionários foi a única solução encontrada para amenizar a crise” explica Paulo.

A empresa norte-americana teria optado pelo fornecimento de cerâmica produzida no México, o que reduziria os custos de importação, após mais de 20 anos de contrato com a Incepa. A falta de demanda no Brasil foi outro fator crucial para a paralisação dos fornos de produção da empresa, até o final de 2016.

Expectativa

De modo geral, a situação não parece favorável, principalmente nas áreas administrativas e de produção da empresa, que reduziu seu quadro de funcionários com cerca de 200 demissões de janeiro até agora. Várias reuniões aconteceram para expor a delicada situação aos empregados das duas fábricas e a decisão foi compreendida, de forma unanime, como o mais plausível diante da crise atual.

A presidência do Sindipiso também informou que a Incepa já fez empréstimos para garantir o pagamento dos direitos de todos os ex-funcionários, e dificilmente abrirá contratações até amenizar as dificuldades financeiras. Apesar dos fatos preocupantes, a empresa de cerâmica visa um futuro melhor, pois a área de construção civil vem apresentando melhora no cenário nacional, nos últimos meses, o que significaria uma esperança para o próximo ano, de acordo com Paulo Ferreira.

O jornal ACONTECEU entrou em contato com a Assessoria de Imprensa da Incepa a fim de expor o posicionamento da empresa. Não obtendo resposta, devido ao período de férias dos responsáveis por esse setor, a equipe do jornal foi orientada a entrar em contato com o gerente de Recursos Humanos da Incepa, mas após diversas tentativas, não obtivemos retorno até o fechamento desta edição.

Qualquer nova informação será atualizada aqui e também na próxima edição impressa do ACONTECEU.

Comentários

Leia também:

Prefeito, vice e vereadores tomam posse em Antonio Olinto

Posse em Antonio Olinto

02 de janeiro de 2017

sem-titulo-1

Retrospectiva 2016

23 de dezembro de 2016