Campanha de combate à pedofilia alerta para realidade preocupante

20 de maio de 2016

Centenas de pessoas foram às ruas em passeata na quarta-feira (18), para chamar atenção da sociedade e mostrar que há suporte a quem é vítima desse crime

 

DSC_0790Fotos: jornal ACONTECEU

 

Pelo sétimo ano consecutivo, a rede de proteção da criança e do adolescente de São Mateus do Sul se mobilizou em uma passeata, intensificando as ações de combate à pedofilia e proteção às vítimas, em alusão ao Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual Contra Crianças e Adolescentes, celebrado na quarta-feira, 18 de maio. A cor amarela, símbolo da campanha, se destacou entre as pessoas que participaram da passeata e também em diversos comércios e órgãos públicos do município, que utilizaram balões e decoração nas vitrines em apoio à iniciativa.

As ações promovidas no mês de maio envolvem todas as organizações relacionadas à rede de proteção, como a Secretaria Municipal de Assistência Social, Centro de Referência de Assistência Social (Cras), Centro de Referência Especializado de Assistência Social (Creas), Ministério Público, Conselho Tutelar, Conselho Municipal dos Direitos da Criança e do Adolescente (CMDCA) e projetos sociais, mas o trabalho acerca do problema é desenvolvido o ano todo. “Existem muitos meios de denúncia e apoio às vítimas. O foco desta ação externa no mês de maio é alertar a sociedade desse crime tão abusivo, dar voz às vítimas e fortalecer essas pessoas para procurar ajuda”, explica a assistente social e uma das organizadoras da campanha no município, Sandra Maria Nadolny.

Segundo ela, a cada ano nota-se o aumento da adesão à passeata, com instituições de ensino, entidades, comércios e comunidade em geral, e o resultado é bastante eficaz, tendo em vista a realidade local. “O número de casos é alarmante. E isso não é uma coisa de agora, mas antes essas situações eram mais veladas, e as campanhas de hoje têm dado visibilidade e consequentemente aumentado o número de denúncias. Ver esse resultado nos incentiva a todo ano reorganizar a campanha”, revela.

Justamente essas situações não denunciadas são o que preocupam também os órgãos de segurança. “Pedimos que as pessoas compareçam e denunciem, pois há muitos casos subnotificados, e a polícia dá prioridade para este tipo de caso. Além disso, estamos estreitando a relação com as entidades de assistência para fornecer um atendimento ainda mais específico”, comenta o delegado da 3ª Subdivisão de Polícia Civil, Jonas Eduardo Peixoto do Amaral.

Entre as situações mais recentes, o delegado informou que um homem teve prisão temporária decretada em São Mateus do Sul, no mês de abril, suspeito de abusar das duas filhas gêmeas. Com base nos elementos já levantados na investigação, a Polícia Civil está entrando com pedido para mantê-lo preso. Uma pessoa ligada à família teria alertado a mãe das crianças quanto à suspeita do abuso, motivando a denúncia.

 

Denuncie

O Disque 100 é o meio mais comum para denúncias de abuso ou exploração sexual contra crianças e adolescentes. Em São Mateus do Sul, é indicado o contato por meio do Conselho Tutelar, que tem toda uma estrutura e técnica de abordagem e encaminhamento específicos para atender as vítimas. O Conselho Tutelar está na rua João Gabriel Martins, próximo ao Fórum Eleitoral. Contato: 3532 2081.

 

 

Na vila Bom Jesus, também houve passeata pelo Dia Nacional de Combate ao Abuso e à Exploração Sexual de Crianças e Adolescentes, na quarta-feira (18). A mobilização foi à tarde, promovida pelo projeto social Portal do Saber

 

DSC_0885

Comentários

Leia também:

Prefeito, vice e vereadores tomam posse em Antonio Olinto

Posse em Antonio Olinto

02 de janeiro de 2017

sem-titulo-1

Retrospectiva 2016

23 de dezembro de 2016