A força dos pequenos negócios

09 de outubro de 2015

Maioria absoluta das empresas brasileiras e setor que colabora significativamente pela produção econômica de São Mateus, os pequenos negócios ganham a vez

 

852pequenos-negócios-1Fátima aposta na atualização e na proximidade com os clientes, receita  que vem funcionando para a loja de produtos naturais (foto: jornal ACONTECEU)

 

Além da indústria e da força indiscutível da agricultura, o comércio também tem papel significativo na economia de São Mateus do Sul. Em especial, destacam-se as pequenas empresas, que levam os produtos até muito perto do freguês, suprem nichos de mercado e unem famílias em torno do negócio.  A cidade tem a maior produção econômica entre os municípios da Amsulpar, e foi o comércio que mais se destacou recentemente, com crescimento de 29,5% no valor adicionado, garantindo ao município a 38ª maior previsão de receita para 2016 no Estado, divulgou a Secretaria Municipal de Indústria e Comércio.

Trocando em miúdos, é o ganha-pão de muita gente, que vende para sua cidade e compra também na sua própria cidade, em um ciclo saudável para a economia local.  “O mérito pelo município manter sua posição nessa receita em relação ao ano anterior certamente é do setor comercial, que pelo crescimento que teve sustentou os bons índices do município”, expõe o secretário de Indústria e Comércio, Renato Possebon. É devido a esses e outros resultados que o Sebrae vem, desde o mês de agosto, estimulando a sociedade a consumir produtos e serviços fornecidos por micro e pequenas empresas. A campanha “Compre do pequeno negócio” chegou ao “Dia D” na última segunda-feira, 5 de outubro, Dia da Micro e Pequena Empresa.  Segundo o serviço, os pequenos negócios representam mais de 95% do total de empresas brasileiras, respondem por 27% do Produto Interno Bruto (PIB) no Brasil e por 52% do total de empregos com carteira assinada. O diretor-superintendente do Sebrae/PR, Vitor Roberto Tioqueta, destaca a procura, cada vez maior nos últimos anos, das pessoas interessadas em informações sobre empreendedorismo e micro e pequenas empresas. “Há 15 anos, as taxas de sucesso e de mortalidade das micro e pequenas empresas se equiparavam. De cada 100 micro e pequenas empresas abertas nos dois primeiros anos, período mais crítico para um pequeno negócio, 50 prosperavam e 50 fechavam as portas. Hoje, 75 prosperam, de cada 100 pequenos negócios.”

É justamente neste ponto decisivo do negócio que o casal Kássio Domingues Banach e Aline Peters Palhano se vê, mas não se frustra. Pelo contrário. O negócio de pet spa e boutique já aposta na expansão. “Com um ano de loja já precisamos deixar a primeira sala, que ficou pequena, e procurar um lugar maior. Hoje ampliamos a empresa para inaugurar em poucos dias um hotel para animais”, revela Kássio, proprietário da Filemon.  O casal conta que uniu o interesse de abrir o próprio negócio ao gosto por animais e a um segmento com demanda crescente no mercado local. Deu certo. “Só saberíamos se daria certo se tentássemos. Arriscamos e estamos bem contentes. Tem muita procura e clientes conosco desde o primeiro dia”, comemora.

Uma das peculiaridades dos pequenos negócios está na proximidade comerciante-cliente. Consultores destacam que a presença do dono geralmente constante na empresa ajuda a identificar as demandas e a gerar empatia da clientela com o negócio. É o caso da comerciante Fátima de Lara, que dá o nome e o sangue a uma loja de produtos naturais em São Mateus do Sul. O vaivém de clientes durante todo o dia é sempre recebido com simpatia e com a “dica da Fátima”, seja pessoalmente ou pelo Facebook, recurso que ajudou a aproximar o comércio do seu público, explorando o interesse crescente das pessoas por informações sobre alimentação saudável. “Sempre me atualizo para aprimorar o negócio e vejo que as pessoas se interessam. Publico algumas dicas e orientações e os clientes sempre usam a página para fazer contato, perguntar se temos algum produto”, conta.

Fátima aposta na importância de se fazer presente. “Isso gera uma cumplicidade, o cliente deposita confiança em você”, explica. “É gratificante a pessoa pedir uma indicação, adquirir o produto sugerido e depois voltar para falar que foi bom. É a melhor coisa, e o que motiva a continuar trabalhando com carinho e dedicação”.

Na cidade, a Sala do Empreendedor surgiu recentemente como forma de agilizar o processo de formalização dos microempreendedores individuais, além de oferecer consultoria, palestras e cursos, realizando quase 2 mil atendimentos desde sua abertura, em janeiro deste ano. Agora em outubro, considerado o mês do empreendedor, a Associação Comercial, Industrial e Agropecuária (ACIA) e a Câmara de Dirigentes Lojistas (CDL) estão promovendo palestras e oficinas a fim de aprimorar conhecimentos e estimular o sucesso profissional. São serviços que vêm contribuindo pela qualificação dos empreendedores e pelo sucesso crescente de seus negócios.

 

852pequenos-negóciosPet Spa superou o período mais desafiador dos novos negócios com crescimento (foto: jornal ACONTECEU)

Comentários

Leia também:

Prefeito, vice e vereadores tomam posse em Antonio Olinto

Posse em Antonio Olinto

02 de janeiro de 2017

sem-titulo-1

Retrospectiva 2016

23 de dezembro de 2016