90 anos de paróquia, um tanto mais de história para contar

12 de agosto de 2016

Paróquia São Mateus completa nove décadas, comemorando junto com o Dia da Padroeira uma trajetória fortemente ligada à história de São Mateus do Sul

 

Um feliz acaso levou a Paróquia São Mateus a unir duas importantes comemorações neste mês de agosto de 2016. Além de festejar o dia da padroeira de São Mateus do Sul, Nossa Senhora da Assunção, em 15 de agosto, o mês também é especial pelos 90 anos de criação da Paróquia São Mateus. Desde 1926, ela é citada como paróquia na Arquidiocese de Curitiba, acolhendo os fiéis como uma das representações da fé católica presente em São Mateus do Sul, influenciada grandemente, em seu início, pela religiosidade do povo polonês.

Hoje, a Paróquia São Mateus é composta por 21 capelas, tem aproximadamente 200 catequistas e 80 ministros. Mas começou bastante humilde, a partir de uma pequena capela levantada para atender os colonos poloneses, que enfrentaram diversos desafios para se instalar em uma nova terra, sem perder a fé. Antes de ser elevada a paróquia, em 1926, foi curato e, antes disso, capelania, subordinada à Paróquia de Palmeira e abrangendo também as colônias de Rio Claro, Água Branca e Rio dos Patos, ainda no século 19.

 

Crescendo com a cidade

Conforme registros da Arquidiocese, o padre João Batista Peters, sacerdote polonês, ia de Curitiba para rezar missas de quando em quando na primeira capela. Mas o padre Ladislau Smolucha, sacerdote secular pertencente à Diocese de Tarnow, teria sido o primeiro a servir como capelão dos colonos, em 1892.

É desse período que datam os documentos e livros mais antigos preservados no escritório paroquial até hoje — relíquias apresentadas à nossa reportagem pelo padre João Ari Schulz, atual pároco, que manuseia com encanto e cuidado os livros frágeis, de páginas amareladas e caligrafia impecável em caneta tinteiro. “É um privilégio manter esses livros, alguns que os próprios imigrantes trouxeram para sua nova terra”, comenta. Entre estes, um hinário em polonês de 1871, com cantos para celebrações, e o missal romano, bastante preservado, da época em que ainda celebravam-se missas em latim. Mas os mais curiosos são possivelmente os primeiros registros de casamento e de batismo — aqueles impecavelmente escritos a mão —, que condizem com o ano em que o padre Ladislau atuou por aqui.

Vicente Kozinski e Antonina Kotodziejska provavelmente foram os primeiros noivos a registrar sua união no que ainda era o embrião da Paróquia São Mateus. Padre Ladislau celebrou o matrimônio em 27 de novembro de 1892. Na mesma data, aparece o primeiro registro de batismo — foi de Francisco, filho de Adão Augustyniak e Josepha Kurt, nascido em 8 de outubro do mesmo ano.

 

Igrejas, movimentos sociais e voluntariado

Ainda alguns anos antes de São Mateus do Sul ser oficialmente um município, era erguida a Igreja Nossa Senhora da Conceição, em madeira. Ela recebeu os paroquianos de 1900 até meados da década de 1960, quando ficou pequena para a crescente população são-mateuense e deu lugar à imponente Igreja Matriz São Mateus, levantada bem ao lado, se tornando rapidamente um dos símbolos da cidade.

Além dos ritos religiosos, a Paróquia São Mateus está presente nas comunidades que atende de outras formas. A Pastoral da Criança e Pastoral da Pessoa Idosa são algumas das ações sociais, e mais recentemente também a Casa de Passagem São Vicente de Paulo, que funciona na área inferior das instalações paroquiais. Fundada em 2010, é voltada para pernoite de moradores do interior que utilizam o transporte médico municipal para outras cidades, ou pessoas que estão de passagem pela cidade e que não têm condições de pagar uma hospedagem. Além disso, oferece jantar aos moradores de rua, e quando eles necessitam, recebem também cobertores e roupas graças às doações que a Casa recebe da população.

Esta participação popular também está fortemente associada à Paróquia, uma vez que sua atuação no meio social está diretamente ligada às ações voluntárias, como ressalta o padre João Ari. “A Paróquia é conduzida pelo voluntariado, que além das doações, está sempre presente, colaborando também nas festas e tradicionais tardes do pastel”, comenta.

 

 

Festividades

Para comemorar os 90 anos de paróquia e também o Dia de Nossa Senhora da Assunção, padroeira de São Mateus do Sul, a Paróquia São Mateus promove a Festa da Padroeira, entre 13 e 21 de agosto. Neste sábado (13), a programação começa com missa às 18h, com o padre Ermildo Krasovski. Ainda estão marcadas mais celebrações com outros religiosos, inclusive em polonês, missa com lucernário com o bispo Dom Agenor Girardi, Jantar das Etnias e domingo festivo, no dia 21, com roda de chimarrão, almoço, bingo, música ao vivo e sorteio da Ação Entre Amigos.

 

IMG-20160802-WA0016

 

Comentários

Leia também:

Prefeito, vice e vereadores tomam posse em Antonio Olinto

Posse em Antonio Olinto

02 de janeiro de 2017

sem-titulo-1

Retrospectiva 2016

23 de dezembro de 2016